Famílias fazem vigília, neste sábado (15), pelas vítimas do massacre em escola de Connecticut (Foto: Reuters)

O presidente Barack Obama viajará neste domingo a Newtown (Connecticut), cenário de um massacre na sexta-feira (14) que matou 20 crianças com idades entre seis e sete anos, assim como seis adultos, em uma escola primária da cidade, anunciou a Casa Branca.

Em Newtown, Obama “se reunirá com as famílias das vítimas e agradecerá aos serviços de emergência” por seu trabalho, informou o porta-voz da presidência, Jay Carney, em um comunicado.

O presidente tomará a palavra durante uma cerimônia religiosa às 19h locais (22h de Brasília).

No programa semanal de rádio, no sábado, Obama pediu solidariedade aos compatriotas com os familiares das vítimas. Das 20 crianças mortas, 16 tinham seis anos e quatro tinham sete anos.

O massacre foi cometido por um atirador solitário que cometeu suicídio posteriormente. A mãe do criminoso foi encontrada morta no apartamento em que morava com o filho em Newtown.

Família

O pai do suposto atirador Adam Lanza, apontado pela mídia como o responsável pelas mortes em uma escola infantil em Newtown, Connecticut, divulgou neste sábado (15) um comunicado expressando condolências para as famílias das vítimas do massacre.

Leia também:  Grande inundação que atingiu os EUA deixa milhares de pessoas desabrigadas

No texto, Peter Lanza diz estar em “choque” e fala que procura “respostas para o que aconteceu”. O texto está publicado no blog da CNN.

“Nossa família está sofrendo junto com todos os que foram afetados por essa grande tragédia”, escreveu. “Não há palavras capazes de expressar o tamanho dessa dor. Estamos em choque e tentando encontrar respostas para o que aconteceu”, disse em um comunicado.

De acordo com a agência EFE, Peter disse que cooperou ‘plenamente’ com os investigadores e que vai continuar fazendo isso no futuro.

O tiroteio aconteceu na escola Sandy Hook, em Newtown, nesta sexta-feira (14). Entre as vítimas está a mãe do suposto atirador, identificada pela mídia local como Nancy Lanza, que era professora na escola infantil.

Segundo a imprensa local, Peter e Nancy Lanza se divorciaram há cerca de dez anos (fato que, segundo vizinhos, afetou os dois filhos do casal). Há três anos, Peter se casou novamente.

Leia também:  Uma pessoa morre e dezenas ficam feridas por atropelamento coletivo em Barcelona

Peter trabalha no departamento de administração de uma grande empresa, segundo a EFE, e seu filho mais velho, Ryan, de 24 anos, trabalha em Hoboken (Nova Jersey).

O irmão de Nancy Lanza, James Champion, que é agente da Polícia estadual de Connecticut, disse através de um comunicado que ‘toda a família está traumatizada’.

Vítimas

Neste sábado, a polícia divulgou a lista com os nomes das vítimas, mas ainda não confirmou a identidade do atirador. O nome de Adam Lanza é dado por órgãos de imprensa que cobrem a notícia no local.

De acordo com o chefe do departamento de medicina legal, o médico Wayne Carve, as 26 vítimas do tiroteio foram todas atingidas mais de uma vez, informou neste sábado (15). Em uma entrevista coletiva para a imprensa, ele confirmou que todos morreram de ferimentos de bala, que o atirador usou um rifle como arma principal e que os casos foram classificados como homicídio.

Investigações

O porta-voz da polícia, Paul Vance tamém falou à imprensa. Ele diz que a investigação ainda está aberta e pediu privacidade para as famílias dos mortos. “Nós ainda estamos buscando ativamente por provas, e esperamos continuar a fazê-lo para as próximas 24 a 48 horas”, diz ele.

Leia também:  Tiroteio dentro de igreja deixa idosos feridos nos EUA

Vance disse ainda que a policia está investigando se as armas eram legalmente de propriedade da mãe do atirador. Ele negou o rumor de que o atirador tenha se envolvido em uma briga na escola, antes do massacre. “Não há relatos de qualquer briga na escola envolvendo esse individuo”. Vance disse ainda que “nós não identificamos oficialmente o atirador até esse momento, então não podemos discutir quaisquer fatos e circunstancias sobre ele.”

Apenas um dos baleados na escola sobreviveu – uma mulher, que de acordo com Vance passa bem e será essencial para as investigações.

Por enquanto, ainda não se sabe o que levou o atirador a entrar na escola armado e atirar em alunos e professores. Segundo a agência de notícias Reuters, a mãe dele era uma ávida colecionadora de armas.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.