Shinzo Abe, líder do Partido Liberal-Democrata (PLD), é o novo primeiro-ministro do país, o sétimo nos últimos seis anos. Ele substitui a Yoshihiko Noda, do Partido Democrático (PD). (Foto: Toru Hanai / Reuters)

As duas Câmaras (Parlamento) do Japão nomearam nesta quarta-feira (26) Shinzo Abe, líder do conservador Partido Liberal-Democrata (PLD), como novo primeiro-ministro do país, o sétimo nos últimos seis anos, que chega para substituir Yoshihiko Noda, do Partido Democrático (PD).

A designação de Abe, cuja formação alcançou uma ampla vitória nas eleições gerais realizadas no último dia 16 de dezembro, conquistando 328 das 478 cadeiras da Câmara Baixa, com uma agressiva plataforma política que propõe firmeza nas relações exteriores e flexibilidade na economia.

Recebida com aplausos por sua bancada, a nomeação de Abe, de 58 anos, também foi referendada pelo Senado, embora tenha se tratado de um mero trâmite, já que o resultado da Câmara Baixa basta para referendar a escolha, conforme a Constituição japonesa.

Leia também:  Festival musical é alvo de ataque e deixa mais de 200 feridos e 50 mortos nos EUA

Antes da votação, o governo do já ex-primeiro-ministro Noda apresentou sua renúncia em plenário, como estava programado, para permitir que Abe, que já foi primeiro-ministro entre setembro de 2006 e setembro 2007, fosse ratificado como o novo chefe de governo japonês.

Além disso, a câmara baixa elegeu o veterano político do PLD Bunmei Ibuki, que foi ministro das Finanças, Educação e Trabalho, como seu novo presidente.

Abe, que aparece como 96º primeiro-ministro da história do país, assume o governo do Japão sob a sombra da estagnação econômica, da lenta recuperação da área devastada pelo tsunami e do acidente nuclear de Fukushima em 2011, além dos efeitos negativos de sua disputa territorial com a China.

Leia também:  Prefeito recebe facada no pescoço de protestante na Alemanha

Seu partido, o histórico PLD, que governou Japão durante mais de meio século de maneira ininterrupta, venceu com clareza as eleições realizadas há exatamente dez dias e retomou o controle da câmara baixa após três anos de mandato do PD.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.