Foto: internet

Uma missão da Agência Internacional de Energia Atômica (Aiea), ligada à Organização das Nações Unidas (ONU), está em Teerã, no Irã. É a quarta visita este ano para analisar o programa iraniano de energia nuclear. Para parte da comunidade internacional, o programa é suspeito de produzir armas atômicas. Mas as autoridades iranianas negam as irregularidades e dizem que o programa tem fins pacíficos.

Nas missões anteriores, os inspetores da Aiea disseram ter sido impedidos de visitar várias áreas, inclusive a usina nuclear em Parchin. O chefe da missão é Herman Nackaerts. Autoridades iranianas indicaram que permitirão o acesso a Parchin.

O governo do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, pediu à Aiea que adote uma postura “positiva e sensata” na reunião com as autoridades. O porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros iraniano, Ramin Mehmanparast, disse que está otimista com a missão no Irã.

Leia também:  Escassez de soro antiofídico tem matado mais de 100 mil pessoas anualmente no mundo

Mehmanparast acrescentou que espera que seja alcançado um “acordo geral” sobre as inspeções às instalações. Ele disse ainda que é necessário “respeitar o direito” de o Irã manter um programa nuclear com fins civis e pacíficos.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.