A 18 dias de assumir a prefeitura de Rondonópolis, o deputado Percival Muniz (PPS) afirmou na manhã desta quarta-feira, dia 12, em Cuiabá, que a tarefa principal no próximo mandato será reorganizar o serviço público. A afirmação foi feita durante entrevistas aos programas Folha Mix e Tribuna CBN, das rádios Mix FM e CBN Cuiabá.

Percival já governou Rondonópolis por seis anos (1999 a 2004). “A gente percebe que pioraram muito os serviços públicos do município nos últimos anos. Então,  a nossa missão inicial será reorganizá-los.”, adiantou. “Vamos conversar com os servidores para deixar claro que o patrão é o cidadão e não o Prefeito. Portanto, vamos trabalhar para avançar na valorização e a parceria com o servidor, visando à melhoria do atendimento da população”.

Muniz disse, ainda, que a administração criará instrumentos para que a população tenha um relacionamento direto com a prefeitura. E, também, contará com o apoio da internet, “para fazer com que o cidadão nos auxilie, cobre e possa ter mais transparência nas ações da administração”.

Leia também:  Grupo articula colocar Pátio como candidato ao senado

Ele anunciou, também, que suas primeiras ações serão focadas na área da saúde. “Para mim, a saúde é prioridade, e só de organizar o que já tem na saúde e isso já dará um salto de qualidade muito bom e vamos cobrar dos médicos muita responsabilidade, principalmente dos que atuam em PSFs”, disse Percival.

Relação com a Câmara

Ele disse que em sua gestão buscará ter uma relação aberta e autônoma com os vereadores.  “Vamos tratar todos com respeito e com a consciência de que eles têm um papel a cumprir. Não tenho a visão atrasada de alguns governantes que manipulam outros poderes como se tivessem se apropriando das instituições. A Câmara tem que se comportar como Legislativo cobrar, fiscalizar, denunciar e sugerir”, completou Percival.

Leia também:  Do suor negro da fuligem ao suor da alegria

Relação com o governo

Percival reafirmou que terá uma relação autônoma e respeitosa com o governo do Estado, mas que espera a contrapartida necessária do Estado, com liberação de recursos e investimentos, para o município que é a terceira mais populosa do estado e a segunda economia.

“Os cargos públicos não são propriedade particular, pertence ao cidadão. O governo, não pode achar que é dono dos recursos. Precisa fatiá-los com os municípios”, disse, acrescentando que o mesmo se refere aos parlamentares

MT Muito Mais

Questionado sobre o crescimento do Movimento Mato Grosso Muito Mais, composto pelo PPS, PSB, PDT e PV,  que elegeu 24 prefeitos, entre eles municípios polos importantes no pleito eleitoral deste ano,  Muniz disse que os gestores terão, agora, a missão de corresponder as expectativas da população, fazendo gestões modernas, eficientes e com sensibilidade social.

Leia também:  Vereador Thiago Silva propõe a criação de banco para materiais de construção

“O Movimento Mato Grosso Muito Mais surgiu com um propósito de ser um movimento do cidadão. Os partidos que compõe o movimento tem o compromisso de interpretar os sentimentos da sociedade para levá-los ao debate político. Então, agora, as nossas administrações terão ser gestões com práticas modernas e transformadoras”.

Quanto aos projetos eleitorais futuros do movimento, Percival destacou que Mato Grosso mostra que quer governantes com as novas práticas políticas, mais transparentes. Sendo assim, os partidos do movimento tem que fazer  administrações compromissadas com esse sentimento da população, bem como se organizar e manter-se unido, visando a construção de um novo projeto para Mato Grosso.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.