Carro de Anselmo Ramon ficou destruído após o acidente (Foto: Everaldo LIns / Divulgação)

A situação do atacante Anselmo Ramon perante a polícia baiana se complicou. Nesta quarta-feira, investigadores da 18ª Delegacia, localizada em Camaçari, confirmaram que o jogador do Cruzeiro não possui carteira de habilitação. No último sábado, o atleta se envolveu em um acidente na BA-099, nas imediações do município de Dias D’Ávila, Região Metropolitana de Salvador. Ele atropelou dois ciclistas que descansavam às margens da rodovia. Uma das vítimas morreu no local.

– O fato de ele não ser habilitado é um agravante. Isso implica aumento em um terço até metade da pena cabível aos crimes de homicídio culposo e lesão corporal culposa na direção de veículo automotor – disse o delegado titular de Camaçari, João Uzzum.

Na última segunda-feira, a polícia divulgou que investigava a suspeita de que o jogador não tinha a licença para dirigir porque no momento do acidente ele não apresentou o documento. Conforme o delegado, o jogador apenas deu entrada nos exames médicos para conseguir a carteira, mas não deu seguimento ao procedimento para tirar a habilitação.

Leia também:  Alto Araguaia será representada por quatro tenistas na Copa das Federações em MG

O depoimento de Anselmo Ramon na 18ª Delegacia está marcado para esta quarta-feira. No entanto, o jogador ainda não compareceu à unidade policial para prestar esclarecimentos sobre o acidente. Na última terça-feira, a vítima que sobreviveu ao atropelo falou
Segundo o delegado, a vítima, identificada como Ednaldo Souza, disse que estava indo pescar com o amigo que morreu, de bicicleta, em uma barragem na região, quando parou no meio do caminho para descansar, na área do acostamento.

– Ele [vítima] disse que estava de costas quando foi atingido e arremessado. Ele caiu no mato e disse que não conseguiu se mexer, que não chegou a ver o jogador – explicou o delegado.

João Uzzum contou ainda que a vítima também informou que o carro do jogador estava em alta velocidade.

– Ele não tem como precisar velocidade. Acredita que estava em alta velocidade em razão do impacto que causou.

Leia também:  Atletas sub 16 de Rondonópolis participam de competição em Cuiabá

Enterro

O ciclista morto no acidente foi sepultado na manhã da última terça-feira, no cemitério Estação da Saudade, no município de Pojuca. Ainda emocionada, a filha mais velha do homem, Fernanda Macedo, lamentou o ocorrido.

– Foi doloroso. Dinheiro nenhum vai pagar a morte dele. A família está abalada. Ele deixou mais quatro filhos, um deles é deficiente – disse.

Fernanda afirmou que nenhum representante do jogador procurou a família para falar sobre o acidente.

Acidente

O acidente envolvendo Anselmo Ramon ocorreu por volta das 9h30m do último sábado. Segundo dados da Polícia Rodoviária Estadual, o jogador estava sozinho no veículo, um Chrysler 300, que ficou destruído por conta do acidente. O atacante do Cruzeiro não apresentava sinais de embriaguez e a suspeita é de que ele tenha dormido ao volante. Antes de atropelar os ciclistas, o carro colidiu com uma árvore.

Leia também:  União e Luve decidem o Estadual Sub-19

O jogador teve ferimentos leves no acidente e recebeu alta médica no fim da tarde de sábado, assim como Ednaldo Souza. Anselmo Ramon foi encaminhado para uma unidade de saúde de Candeias, cidade na região metropolitana de Salvador. Já Ednaldo foi socorrido para o Hospital Geral de Camaçari e falou sobre o susto do acidente ainda em uma cadeira de rodas.

– Vi o carro batendo na gente. O carro veio, eu de costas, ele de costas, pegou aqui do lado e sacudiu direto para o mato, pronto, só foi o que eu vi – contou a vítima.

A assessoria de imprensa do Cruzeiro, procurada, informa que o clube não irá se pronunciar sobre o caso, já que se trata de um problema particular do jogador. No entanto, o clube concederá ao jogador apoio ou assessoria jurídica se for solicitado.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.