A presidenta eleita da Coreia do Sul, Park Geun-hye, de 60 anos, disse que sua prioridade será garantir a segurança do país em meio às eventuais ameaças do governo da Coreia do Norte, que promove o lançamento de foguetes. A Coreia do Sul e a Coreia do Norte eram um só país até 1945. Na ocasião, as forças da antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) ocuparam o Norte e as dos Estados Unidos o Sul da região.

Geun-hye disse que o lançamento de foguetes pelos norte-coreanos reflete uma grave realidade para a região. “O lançamento de um míssil de longo alcance da Coreia do Norte mostrou simbolicamente a grave realidade que enfrentamos em matéria de segurança”, acrescentou.

Leia também:  EUA e Coréia do sul simulam manobras de bombardeio sobre Coréia do Norte

A nova presidenta disse ainda que se empenhará na promoção da reconciliação, cooperação e paz no Nordeste Asiático tendo como base a “perceção correta da história”. A afirmação de Geun-hye é uma aparente referência aos conflitos diplomáticos entre o Japão e a Coreia do Sul.

O atual governo da Coreia do Sul exige do Japão um pedido de desculpas pelos danos causados durante a ocupação japonesa e o abandono das disputas territoriais sobre as ilhas Dokdo/Takeshima, governadas de fato pelos sul-coreanos.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.