Vereador eleito pelo PP, Roni Magnani – Foto: Varlei Cordova / AGORA MT

O vereador eleito, Roni Magnani (PP), afirmou em entrevista ao site AGORA MT que o PMDB ao abandonar o grupo aliado e declarar apoio incondicional ao prefeito eleito Percival Muniz (PPS) causou decepção. Para Roni, o PMDB não pensou no grupo e que agora ele sente que está vivendo um momento de isolamento.

“O PP vai manter a sua decisão de continuar no arco de aliança que apoiou a candidatura à reeleição do prefeito Ananias Filho (PR) e que qualquer medida que for tomada será após uma discussão entre o grupo”, fala. Para Roni o PMDB foi convencido a aderir ao grupo de Percival muito rapidamente.

“Em uma reunião de apenas 2h foi suficiente para que Percival mostrasse aos integrantes do PMDB as suas propostas para os quatro anos de gestão. Já eu penso diferente, não posso declarar apoio incondicional a uma administração antes mesmo de ela mostrar o que tem para a cidade”, fala.

Leia também:  Emenda de vereadores proíbe ‘Nepotismo cruzado’

Magnani contou que o PP, que também tem como vereador eleito Cido Silva, não abre mão de uma vaga na Mesa Diretora da Câmara e que mesmo que não haja possibilidade de vencer o grupo vai indicar uma chapa para concorrer à presidência.

“Entendemos que o PMDB com cinco eleitos seria a base de sustentação de uma oposição, mas nem por isso vamos deixar de ter representatividade e nem de fazer o nosso papel que é o fiscalizar”, diz. Segundo Magnani muita coisa deve mudar até 31 de dezembro, já que a eleição para a Mesa só acontece em 1 de janeiro.

“Ainda não decidimos quem vai ser o candidato à presidência pela nossa chapa, mas posso adiantar que será escolhido em consenso e que a ideia de renovação deve prevalecer na hora da escolha”, alega.

Leia também:  OAB entrega pedido de impeachment de Temer à Câmara
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.