O Tribunal de Apelações do Egito anulou neste domingo (13) a sentença proferida em junho de 2012 contra o ex-presidente Hosni Mubarak e o ex-ministro do Interior Habib el-Adli. Na ocasião, os dois foram condenados à prisão perpétua pela repressão e morte de egípcios durante a revolta popular, em 2011.

O tribunal decidiu aceitar os recursos dos réus e pedir um novo julgamento também para os dois filhos do presidente deposto e seis responsáveis pelos serviços de segurança do então governo.

Após três décadas no poder, Mubarak foi o primeiro dirigente a cair durante a chamada “Primavera Árabe”.

Advertisements
Leia também:  Incêndio queima mais de 4 mil hectares na França e moradores são obrigados a deixar suas casas

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.