Menina morta Geovana
Geovanna, em foto de site de relacionamento Foto: Reprodução da internet

A realização de um sonho. Era assim que os pais de Geovanna Vitória de Barros, de 1 ano, morta na noite de sexta-feira com um tiro no peito, durante uma tentativa de assalto, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, viam a menina. Priscila de Barros Firmino, de 27 anos, se submeteu a sucessivos tratamentos para engravidar. Depois que isso aconteceu e a tão esperada menina nasceu, ela e o marido, Adenildo Firmino, de 30 anos, faziam questão de comemorar cada mês de aniversário da pequena. O casal está junto há 11 anos. “Minha filha fez tratamento durante cinco anos e sempre quis uma menina. Conseguiu, e agora isso acontece”,  relatou emociado o pai de Priscila, José Carlos Gomes de Barros, de 49 anos.

Leia também:  Segurança morre baleado após deixar a arma cair no chão

Durante o enterro, realizado neste sábado, no Cemitério Municipal de Nova Iguaçu, a mãe e o pai da criança não saíram do lado do pequeno caixão. Adenildo beijava a tampa. Priscila passou mal. “Me leva junto com ela, Senhor”, disse Priscila, antes de desmaiar.

Aos prantos, Adenildo Firmino desabafou e destacou seu desejo de justiça. “Eles são um bando de monstros. Minha mulher está mal, está quase ficando maluca”, protestou.

O comportamento de Priscila também tem deixado sua mãe, Marisa Silva de Barros, preocupada, “Depois do enterro, acho que a ficha dela caiu. Antes, ela pegava a foto da Geovanna e falava que queria amamentar a menina. O presidente da ONG Rio de Paz, Antônio Carlos Costa, prestou solidariedade à família de Geovanna. “Estamos à disposição. Estou pensando em levar uma faixa, amanhã, para Copacabana”, revelou.

Leia também:  Dor de amor | Dois homens sofrem tentativa de homicídio no centro de Rondonópolis

CARRO RECUPERADO

A assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que o carro usado pelos bandidos foi recuperado na tarde deste sábado, em Belford Roxo. O veículo foi levado para a 54ª DP (Belford Roxo), que investiga o crime, e será periciado.

O CRIME

Geovanna morreu com um tiro no peito na Rua Nunes Sampaio. Priscila, mãe da menina, dirigia um Fox prata quando foi fechada por um Vectra preto. Assustada, ela arrancou com o veículo, e os criminosos dispararam.

Uma bala entrou pela janela do motorista e acertou Geovanna, que estava numa cadeirinha no banco do carona. A bala acertou a criança entre a costela e o peito e ficou alojada na lataria do veículo.

Leia também:  Criança de 4 anos morre afogada em piscina durante excursão em balneário de MT

A menina foi levada para um hospital particular em Nova Iguaçu, mas, de acordo com a polícia, já chegou morta à unidade. A mãe ficou em estado de choque. Cerca de duas horas após o primeiro crime, o mesmo grupo, que seria de três ou quatro bandidos, teria roubado um Siena em Areia Branca, também em Belford Roxo.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.