O Movimento Pró-Logística já tem o calendário definido para as ações deste ano. Em abril, começam os Estradeiros, que são expedições para verificar in loco do andamento de obras de pavimentação e pontes. “Vamos continuar fazendo um esforço grande para a conclusão das obras na BR-163 até Miritituba, no Pará, e também a Santarém, pois é o principal corredor de escoamento da safra mato-grossense”, disse o diretor executivo do Movimento, Edeon Vaz Ferreira.Além disso, outro trecho importante é da BR-242, de Santiago a Querência, no leste de Mato Grosso. A região é uma nova fronteira agrícola e necessita de obras de infraestrutura para o escoamento de grãos. A BR-158 também demanda atenção especial, pois é preciso pavimentar o contorno da terra indígena Marawatsede. “Vamos dar atenção também aos 120 trechos que elegemos como prioritários para o estado no estudo ‘Rotas Estaduais do Agronegócio’”, afirmou Edeon.Para o coordenador da Comissão de Logística da Aprosoja, José Rezende, é importante dar continuidade ao trabalho do ano anterior. “Além de quatro grandes estradeiros, faremos simpósios nas principais cidades que passaremos com as expedições para discutir a realidade regional”, explicou.

Leia também:  Horta da penitenciária de Sinop colhe primeira produção

O trabalho do Movimento Pró-Logística não se resume às rodovias. Hidrovias e ferrovias também estão no foco e diversos projetos serão acompanhados, como o da Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fico). “O trecho está em processo de privatização e é importante para o setor”, explicou o diretor executivo. As hidrovias Teles Pires-Tapajós, Arinos-Juruena-Tapajós e Paraguai-Paraná receberão atenção especial. “Daremos ênfase às hidrovias durante este ano”, afirmou Rezende.

A estratégia para 2013 é realizar audiências públicas e simpósios em parceria com diversos órgãos do governo federal para fomentar a discussão sobre a importância destes modais. “Participaremos de eventos em universidades para que os futuros profissionais das engenharias, por exemplo, conheçam os gargalos estaduais neste setor e o Movimento Pró-Logística”, explicou Edeon Vaz Ferreira.

Leia também:  Cai 28% o número de roubo de aparelhos celulares em Mato Grosso
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.