Foto: AFP
Foto: AFP

A Coreia do Norte vai reforçar sua dissuasão atômica e manter os testes nucleares, afirmou nesta quarta-feira (23) o Ministério das Relações Exteriores, em reação à última série de sanções decididas pela ONU.

“Nós rejeitamos terminantemente e condenamos a resolução extremamente injusta do Conselho de Segurança da ONU que tenta violar os nossos direitos soberanos”, indicou o ministério em um comunicado divulgado pela agência oficial KCNA.

“Vamos tomar medidas concretas para ampliar e reforçar nossas forças militares de autodefesa, incluindo a dissuasão nuclear”, acrescentou.

O anúncio foi feito algumas horas depois de o Conselho de Segurança da ONU ter aprovado por unanimidade a ampliação das sanções contra a Coreia do Norte pelo controverso lançamento de um foguete de longo alcance no mês passado.

Leia também:  EUA e Coréia do sul simulam manobras de bombardeio sobre Coréia do Norte

A agência espacial norte-coreana e uma lista de personalidades foram adicionadas a um conjunto de sanções das Nações Unidas para congelar ativos e proibir viagens. O regime comunista asiático anunciou no dia 12 de dezembro o lançamento de um foguete para colocar um satélite em órbita.

A resolução, proposta pelos Estados Unidos, condenou energicamente a Coreia do Norte pelo que foi classificado como teste ‘balístico’. O regime norte-coreano já era penalizado por duras sanções da ONU por testes nucleares em 2006 e em 2009.

Estados Unidos e China realizaram semanas de negociações discutindo uma resposta internacional antes que a resolução fosse apresentada ao Conselho de 15 nações para votação.

O governo americano havia exigido duras medidas contra o governo de Pyongyang, enquanto a China havia tentado proteger seu aliado das sanções.

Leia também:  Herdeiro da Samsung é condenado a 5 anos de prisão por propina à ex-presidente
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.