Em setembro de 2012, Robert Kubica apareceu com braço enfaixado no rali Ronde Gomitolo di Lana, na Itália, 19 meses após o acidente que comprometeu seus movimentos (Foto: Reprodução/Twitter)
Em setembro de 2012, Robert Kubica apareceu com braço enfaixado no rali Ronde Gomitolo di Lana, na Itália, 19 meses após o acidente que comprometeu seus movimentos (Foto: Reprodução/Twitter)

Pouco a pouco, Robert Kubica prepara seu retorno às pistas. Dois anos após o grave acidente em uma prova de rali na Itália, o polonês vai se aventurar pela primeira vez em um circuito fechado desde que perdeu parte dos movimentos do braço e da mão direita. De acordo com a revista inglesa “Autosport”, o piloto testará um carro da Mercedes no DTM, a Stock Car alemã. Ainda segundo a publicação, a sessão será no circuito de Valência, na Espanha, e ainda não tem data definida.

Tido como um dos pilotos mais talentosos de sua geração, Robert Kubica estreou na Fórmula 1 em 2006, pela BMW, equipe pela qual obteve sua única vitória na categoria, em 2008. Com o fim da equipe, o polonês foi contratado pela Renault (atual Lotus), time pelo qual disputou a temporada 2010. Logo após a apresentação do novo carro, nos testes de pré-temporada em fevereiro de 2011, ele sofreu um grave acidente durante uma prova de rali e se afastou das pistas.

Leia também:  Cuiabá vence e se classifica para grande final

Desde então, Kubica tem tentado acelerar seu tratamento, visando um retorno às pistas. O retorno a um volante se deu também em um carro de rali, em setembro de 2012, 19 meses após a batida, e logo com uma vitória. Nos meses seguintes, o polonês guiou diferentes modelos de carros de rali, ganhou mais uma prova e sofreu dois acidentes sem muita gravidade, embora em um deles o carro tenha sofrido um princípio de incêndio.

Em dezembro, Kubica admitiu em uma entrevista que o sonho de retornar à Fórmula 1 ainda está bem distante, devido às limitações de movimento que sofreu após o acidente e as diversas cirurgias para reconstrução da área afetada.

Leia também:  Avengers e Ki-Modelo disputam final de basquete nesta sexta

Se eu puder mover meu braço novamente, há uma chance de retornar. Mas até isso acontecer, temos que ver. Não há chance de voltar à Fórmula 1 em breve. Se fosse questão de força, seria resolvido com musculação. O grande problema é a mobilidade do cotovelo e do punho. Ainda é difícil mover meu braço direito. Fiz várias operações para isso evoluir, mas não houve nenhuma melhoria espetacular – revelou ao site “AutoWeek”.

DTM tem brasileiro e pode ter Zanardi

O DTM – sigla para “Campeonato Alemão de Turismo” – é a principal comptição com máquinas do tipo Stock Car na Europa. O brasileiro Augusto Farfus estreou na competição e 2012 e se tornou o primeiro piloto do país a conquistar uma pole e uma vitória na competição, que reúne três montadoras germânicas e corre em cinco países: Áustria, Holanda, Rússia, Inglaterra e Alemanha, onde é baseado. Farfus já está confirmado para a temporada 2013, que começa no dia 5 de maio e Hockenheim, mesma pista que recebe o GP da Alemanha de Fórmula 1.

Leia também:  Antigo Luthero vira cult e ganha lembrança especial do torcedor

Outro piloto com sequelas de um grave acidente que testou um carro do DTM recentemente foi Alessandro Zanardi. Bicampeão da Indy e bicampeão paralímpico em Londres-2012 no ciclismo, o italiano deu algumas voltas em um modelo BMW, mas não deu certeza se participará ou não do campeonato em 2013.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.