Foto: Divulgação/Amazon
Foto: Divulgação/Amazon

Quase um ano depois da morte de Whitney Houston, Cissy, mãe da cantora, está lançando um livro de memórias chamado “Remembering Whitney”, publicado pela editora Harper Collins nos Estados Unidos.

Aos 79 anos, Cissy falou com o site da revista “People”, nesta quarta-feira (23), sobre a obra, em que escreve abertamente do problema grave de sua filha com as drogas e da decadência que levou à sua morte por afogamento em uma banheira de hotel, com vestígios de cocaína em seu sangue.

“Ela começou a festejar e realmente não soube parar”, diz a mãe da cantora. “Eu costumava me perguntar o que ela estava fazendo à noite, onde ela estava”. Mas, quando tentava procurá-la, Whitney muitas vezes não retornava suas ligações.

Leia também:  Claudette Soares grava disco baseado em livro sobre o samba-canção do Rio

“Whitney escondeu de mim”, afirma Cissy, que tinha medo de enfrentar sua filha. Chocada com sua aparência esquelética no tributo a Michael Jackson, em um concerto que aconteceu em 2001, ela nunca manifestou preocupação. “Qual era a razão?”, pergunta ela. “Eu não queria que ela fosse completamente para longe de mim”.

Porém, Cissy não coloca a culpa do envolvimento de Whitney com as drogas no ex-marido da cantora, Bobby Brown. “Ele não a ajudaria em nada”, afirma. Cissy ainda é atormentada pela morte repentina da filha. “Eu estou com raiva que ela tenha morrido sozinha, naquelas condições”, diz. “Eu ainda estou brava com isso”. Ainda assim, ela espera que seu livro lembre as pessoas “que pessoa boa ela era”. “Quero que as pessoas saibam a verdade sobre ela, como ela realmente era”, completou.

Leia também:  Gravação ao vivo do show de boleros de Alcione sai no segundo semestre
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.