lutadorApós passar por uma cirurgia no pulso esquerdo para corrigir a fratura exposta causada por um tiro, o lutador Assuério Silva passa bem e já se encontra fora da UTI do hospital Cajuru, em Curitiba.

Na noite da última terça-feira (29), o ex-lutador peso-pesado do Pride e UFC foi baleado sete vezes ao sair de sua academia na capital parananse, sendo levado imediatamente para o pronto socorro.

De acordo com a assessoria de imprensa do hospital, nenhuma das balas perfurou qualquer órgão e, inclusive, uma delas atingiu a cabeça de Assuério, mas não perfurou o crânio.
Ao contrário das primeiras informações dadas sobre o estado de saúde do atleta, ele passa bem, mas ainda não tem previsão de alta.

Leia também:  Atletas sub 16 de Rondonópolis participam de competição em Cuiabá

Entre as regiões atingidas estão o tórax, joelho, cabeça, quadril, coxa e pulso (única área afetada com maior gravidade).

Ainda sem confirmação do autor dos disparos, a suspeita é de que um antigo sócio de Assuério, que já o tinha ameaçado de morte, tenha cometido o crime.

Aos 38 anos, o atleta acumula um cartel com 15 vitórias e oito derrotas, incluindo passagens por eventos internacionais como UFC, Pride e Pancrase, evento em que foi campeão dos meio-pesados (93 kg).

Sua última apresentação no MMA foi em 2009, quando acabou nocauteado por Gerônimo “Mondragon” no primeiro round, em duelo realizado no Jungle Fight.

No início dos anos 2000, o peso-pesado fez parte da famosa equipe Chute Boxe, onde treinava diariamente com nomes de peso como Anderson Silva, Wanderlei Silva, Maurício “Shogun” e Murilo “Ninja”.

Leia também:  União perde em casa e dá adeus ao sonho da Série C
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.