Veterano cogita treinar a seleção feminina de tênis de mesa (Foto: Bruno Gutierrez / Globoesporte.com)

Apesar de ainda não estar decidido, o ciclo de Hugo Hoyama como jogador da seleção brasileira de tênis de mesa parece estar chegando ao fim. Aos 43 anos, o atleta confessou ainda não ter tomado uma posição, mas que será difícil participar de outro ciclo olímpico atuando.

“Energia para competir até tenho, mas eu estou pensando. Não decidi ainda 100%, mas um ciclo olímpico como jogador acho que vai ser difícil agora. Tenho vontade de estar na mesa jogando, no Rio, junto com a nossa torcida. Mas, acho que vai ser de uma outra forma”.

A outra forma que o veterano em Olimpíadas – foram seis participações ao todo – se refere é como técnico. O mesatenista foi convidado para treinar a seleção feminina da modalidade. Ele ainda deu destaque a outros projetos.

– Eu estou com uma conversa bem adiantada com a Confederação Brasileira de Tênis de Mesa para ser o técnico da seleção brasileira feminina. Eu também fui convidado para fazer parte do conselho de atletas Rio 2016, para poder ajudar na organização do evento, junto com outros grandes atletas. Acho que temos que usar nossa experiência para isso. Para fazer da Olimpíada do Rio um evento que deixará um legado.

Leia também:  União estreia com derrota diante do Dom Bosco no Luthero

O caminho como treinador parece ser mesmo o destino de Hugo Hoyama. Ele revelou que tem estudado para seguir no tênis de mesa como técnico, auxiliando na formação dos atletas. Para isso, tem buscado inspiração em outro comandante de seleção brasileira.

– É um caminho que eu estou gostando. Desde 2010 eu sou técnico da Gui Lin (atleta da seleção feminina). Tem que ter muita paciência. É muito diferente você jogar e ser técnico. Mas, eu estou aprendendo. Estou lendo algumas coisas de outros técnicos vitoriosos em times femininos. Por exemplo, o José Roberto Guimarães. Estou tirando lições, não só na prática, mas na teoria. Estou ganhando experiência para poder trabalhar com as meninas.

Leia também:  Brasileira leva ouro em natação e se torna a 1° campeã mundial do país

Planos para 2013

Apesar de estar perto do fim da carreira na seleção brasileira, ainda não será neste ano que Hugo Hoyama irá abandonar a requete. Ele planeja conciliar torneios como jogador e outras competições como técnico.

– Quero continuar participando de alguns torneios. Vou jogar pela cidade de São Bernardo do Campo, que eu defendo e pelo Palmeiras, que é meu clube de coração. também vou começar a trabalhar um pouco com o feminino. Não vou ser técnico para o ano inteiro. Estarei em algumas competições, participar de alguns treinamentos e pegar experiência. Como eu estou jogando ainda, não tem como eu ficar 100% dedicado a seleção.

Leia também:  Luve perde e está de volta à Zona da Degola

Lições de Cláudio Kano

Não é so com o presente que o mesatenista brasileiro tira ensinamentos. O passado também traz muitas lições para Hugo Hoyama. O aprendizado com o ex-companheiro Cláudio Kano, falecido em 1996, não é esquecido. Ele falou sobre o que aproveitou da parceria com o amigo.

– Eu aprendi muito com ele. Ele era quatro anos mais velho que eu, era um cara super dedicado e muito tranquilo. Aprendi muito com ele isso. A ser mais tranquilo com a vida e aproveitar bastante. O Cláudio me ensinou muito e eu uso isso até hoje. Ele foi importante e tenho certeza que ele está ajudando o tênis de mesa lá de cima até hoje.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.