Buscando amenizar os impactos causados à sociedade pelas obras da Hidrelétrica no Rio Teles Pires, a juíza da Comarca de Paranaíta (851km a norte de Cuiabá), Janaína Rebucci Dezanetti, convocou o prefeito municipal, diretores da Companhia Hidrelétrica Teles Pires (CHTP), Ministério Público e Polícia Civil, para juntos deliberarem sobre ações de compensação a esses impactos. A reunião ocorreu no fórum da comarca, e já produziu resultados positivos.

De acordo com a magistrada, a empresa se comprometeu a promover quatro cursos profissionalizantes para jovens e adultos. O município se prontificou a fazer o mesmo. A magistrada pretende agora obter apoio do Governo do Estado para melhorar a segurança pública do município, que se agravou em decorrência do aumento da população do município, e que tende a duplicar este ano. Entre as ações necessárias estão a reforma da delegacia e investimentos em equipamentos.

Leia também:  Programa Jovens Embaixadores está com inscrições abertas

Paranaíta possui cerca de 7,5 mil habitantes, mas, segundo a magistrada, cerca de 4 mil homens chegaram à região para trabalhar na obra, sendo que outros 3 mil estão a caminho. Com isso, aumentou o número de ocorrências policiais na cidade, principalmente quanto ao uso de drogas e exploração sexual infantil. A magistrada se prontificou a fazer palestras nas escolas abordando esses dois temas.

“É preciso que a empresa crie compensações para o impacto que essa obra está gerando na segurança pública e na saúde no município, já que esses trabalhadores utilizam a rede pública de saúde”, destacou a magistrada, acrescentando que a iniciativa mostra que a Justiça está atuando para melhorar a qualidade de vida da população, fazendo um trabalho social, de prevenção. (Ascom) W.S

Leia também:  Alto Taquari | Controlador Interno é afastado de cargo e pode ser condenado por improbidade administrativa
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.