Um homem matou a ex-mulher a facadas após mantê-la por quase quatro horas como refém na região de Guaianazes, na zona leste de São Paulo. A situação de cárcere privado que terminou em tragédia começou por volta de 23h30 desta terça-feira.

A professora Cássia da Silva Souza Teixeira, de 39 anos, saiu da escola em que lecionava, na região, e foi para casa, na Rua Tintin, na Vila Marilena. Quando chegou à residência, ela se deparou com o ex-marido, Marcos Alexandre Ferreira (37), que a aguardava no portão.

Os dois entraram para conversar, mas logo começaram os gritos. Como Ferreira, que é usuário de drogas, havia consumido cocaína e parecia estar descontrolado, vizinhos resolveram acionar a Polícia Militar.

Leia também:  Quadrilha mantém caminhoneiros como reféns e roubam carga de 26 toneladas de farinha de trigo em Rondonópolis

Homens do Batalhão da área cercaram a casa e iniciaram negociações com o suspeito, que portava uma faca e ameaçava matar a ex-mulher. Com o passar das horas, policiais do Grupo de Ações Táticas Especiais da PM, o GATE, assumiram o caso na tentativa de libertar a refém.

Por volta de 3h30 da madrugada, os PMs decidiram invadir o imóvel, mas a professora acabou esfaqueada e morta pelo ex-marido que, em seguida, tentou o suicídio. Com ferimentos no tórax, abdômen e braço, o homem foi levado pelos bombeiros, em estado grave, para o Hospital Geral de Guaianazes.

A PM ainda não informou em que momento a mulher teria sido morta pelo suspeito, se antes ou durante as negociações, ou, mesmo, no momento em que os policiais invadiram o local.

Leia também:  Trio encapuzado invade residência e rende casal durante assalto

A professora tinha uma filha de 11 anos com o ex-marido, mas a menina não estava em casa no momento do crime. O imóvel foi isolado para os trabalhos da equipe de peritos da Polícia Civil, e o caso será registrado no 53º Distrito Policial, do Parque do Carmo.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.