Ex-Internacional, Alexandre Pato pretende retornar à seleção brasileira (Foto: Vipcomm / Mowasports)

Ao todo foram 150 jogos, 9.784 minutos em campo, 63 gols, dois títulos e 16 lesões. Este é um breve resumo da trajetória de Alexandre Pato com a camisa do Milan. Reforço do Corinthians para 2013, o atacante desembarca no Brasil com um preocupante histórico de lesões.

Na atual temporada, por exemplo, Pato atuou somente em sete partidas (fez dois gols) das 25 disputadas pelo clube italiano – ou seja, ficou fora de 72% dos jogos de sua ex-equipe.

Contratado pelo Timão por cerca de € 15 milhões (pouco mais de R$ 40 milhões), o jogador de 23 anos será a principal arma do time paulista para superar o baixo rendimento de seu ataque no ano passado, quando um volante (Paulinho) acabou como artilheiro da equipe – e, mesmo assim, a equipe conquistou Libertadores e Mundial de Clubes. A tendência é que forme dupla com o peruano Guerrero.

No Milan, o nome de Pato sempre foi acompanhado de uma enorme expectativa. Ele foi contratado em 2007, quando o clube italiano aceitou pagar ao Internacional € 22 milhões (R$ 56 milhões), mesmo sabendo que só poderia contar com o atacante em 2008, quando completasse 18 anos. O jogador chegou à Itália com uma enorme publicidade em torno de seu nome, sendo considerado uma das maiores promessas do futebol mundial.

Leia também:  Derrota diante do Dom Bosco gerou prejuízo financeiro ao União

Quando finalmente estreou pela equipe rubro-negra, em 13 janeiro de 2008, marcou um belo gol na vitória sobre o Napoli, por 5 a 2, e foi aplaudido de pé. Menos de um mês após sua estreia, o atacante conheceu sua primeira lesão, que o afastou dos gramados por algumas semanas. Ele terminou a temporada 2007/2008 com nove gols em 20 partidas.

De novembro de 2009 pra cá, o jogador nunca mais conseguiu manter a regularidade que o fez ter a ascensão meteórica na carreira. Ele passou mais tempo no Milan-Lab, departamento médico milanista. Foram 14 lesões, que, somadas às duas anteriores, o deixaram fora de ação por 577 dias. Até uma viagem aos Estados Unidos para realizar exames na clínica de um renomado neurologista quiropraxista não foi suficiente para descobrir um tratamento adequado para a sequência de problemas musculares do jogador.

Os seguidos problemas de ordem clínica fizeram os números de Alexandre Pato caírem (veja o infográfico abaixo). Em 2011/2012, por exemplo, marcou somente quatro gols em 18 jogos (participou de 33,96% das partidas do Milan). Na temporada seguinte, teve seu pior desempenho: foram dois gols em sete jogos (participou de 28%), perdendo espaço na seleção brasileira – foi convocado pela última vez para as Olimpíadas, realizada entre junho e agosto de 2012, por Mano Menezes. Na competição, foi reserva de Leandro Damião, atacante do Internacional.

Leia também:  Cuiabá vence e se classifica para grande final

Com tudo isso, a desvalorização foi grande. O Corinthians vai pagar pouco mais de R$ 40 milhões, cerca de R$ 16 milhões a menos do que o Milan desembolsou há aproximadamente cinco anos. Vale lembrar que, segundo o jornal francês L’Equipe, o Paris Saint-Germain estava disposto a pagar cerca de € 35 milhões – R$ 80 milhões – para ter o jogador no início do ano passado, mas o Milan rejeitou a proposta.

Olho na Seleção

Insatisfeito na Itália e de olho no bom momento vivido pelo Timão após os títulos da Libertadores e do Mundial de Clubes, o atacante volta ao Brasil para recuperar o prestígio e reconquistar seu espaço na seleção brasileira, atualmente comandada por Luiz Felipe Scolari. Por causa disso, ele teria, inclusive, recusado outras propostas de times europeus. A decisão de Pato de voltar ao país passa também por Tite. O treinador conversou com o jogador algumas vezes por telefone para tentar convencê-lo a deixar a jogar no Timão.

Leia também:  1º Campeonato de Futebol Amador é suspenso temporariamente

Para 2013, o Corinthians espera que Alexandre Pato acabe de vez com um problema que irritou a torcida corintiana em 2012. Apesar dos gols decisivos de Emerson e Paolo Guerrero, na Libertadores e no Mundial de Clubes, respectivamente, o Timão sofreu com o fraco aproveitamento dos seus atacantes. O volante Paulinho, decisivo no esquema tático de Tite pela forma como aparece no setor ofensivo, foi o artilheiro do Timão no ano, com 13 gols.

Em 2012, o desempenho dos atacantes do Corinthians foi abaixo do esperado. Emerson, por exemplo, balançou 12 vezes as redes adversárias. Guerrero, que chegou ao clube em meados de julho, anotou oito gols. Romarinho fez sete. Liedson e Willian, que não conseguiram se firmar entre os titulares e deixaram o clube após a Libertadores, fizeram cinco cada. O pior desempenho na temporada 2012 pertence a Jorge Henrique. O jogador disputou 43 partidas e fez somente três gols. Elton, emprestado ao Vitória, tem o mesmo número. Gilsinho e Adriano, outros que saíram durante a temporada, fizeram um.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.