Alex Zanardi experimentou carro do DTM à convite da BMW (Foto: Divulgação / DTM)

Após conquistar três medalhas (duas de ouro e uma de prata) no ciclismo nas Paralimpíadas de Londres 2012 e encantar o mundo com sua história de superação, o italiano Alessandro Zanardi flertou com uma possível volta ao automobilismo. Primeiro, o ex-piloto, que perdeu as duas pernas em um grave acidente na CART (categoria de monopostos dissidente da Indy) em 2001, cogitou participar das 500 milhas de Indinápolis. Em seguida, foi convidado pela BMW para disputar o DTM, o campeonato de turismo alemão e, inclusive, chegou a testar um carro em novembro. Porém, após analisar a possibilidade, Zanardi decidiu oficialmente que não levará a idéia adiante, para poder se dedicar ao filho e a outros compromissos.

“Tivemos uma conversa sobre levar isso seriamente à frente, mas cheguei a conclusão que seria um pouco demais para mim estar envolvido em tempo integral, em uma temporada inteira, no próximo ano. Isso significaria que eu não teria tempo para coisas que curto, como o ciclismo e pescaria com meu filho. Então decidi esperar o próximo trem – explicou”.

Leia também:  União volta a jogar sábado pelo Sub-19

No início de novembro, Zanardi pilotou um carro da DTM no circuito de Nürburgring, na Alemanha à convite da BMW. O italiano completou 32 voltas em no modelo M3 da montadora especialmente modificado para atender suas necessidades. O carro tinha a cor dourada em alusão às duas medalhas de ouro de paralímpicas e um adesivo no capô com uma imagem sua após uma das conquistas em Londres. Na ocasião, o ex-piloto de 45 anos ficou muito feliz com a experiência, mas já deu sinais que dificilmente retornaria às competições automobilísticas.

– Eu me diverti muito na pista. Quando vi pela primeira vez o carro de ouro, fiquei extasiado. Estou muito feliz por ter a oportunidade de dirigir esta BMW. Este é um dia muito especial para mim, que sempre lembrarei com carinho. Ainda tenho paixão em pilotar. Entretanto, não tenho certeza que haverá mais do que esta demonstração, pois o nível do DTM possivelmente é muito alto para alguém da minha idade – disse na ocasião.

Leia também:  Mixto, Dom Bosco e Cacerense viram adversários diretos do União na Copa Federação

Pilotar após o acidente que quase lhe tirou a vida não é novidade para Zanardi. Após a terrível batida, o italiano voltou às competições defendendo a BMW em torneios europeus de turismo, chegando ao WTCC, o campeonato mundial da modalidade, em 2006. Até 2009, quando deixou as pistas, ele conquistou quatro vitórias guiando um carro adaptado, com freio no pedal acionado por sua perna mecânica, e o acelerador ligado a uma alavanca manual no volante.

No período em que guiou para os alemães no WTCC, Zanardi também teve a oportunidade de testar um BMW Sauber de Fórmula 1, igualmente adaptado. Depois disso, continuou competindo com o patrocínio da montadora em suas provas no paraciclismo, que culminaram nas conquistas nos Jogos Paralímpicos de Londres, em agosto deste ano. Zanardi faturou três medalhas. Foi ouro nas provas de contra-relógio e estrada, na categoria H4, e prata no revezamento misto H1-4.

Leia também:  Alto Araguaia será representada por quatro tenistas na Copa das Federações em MG
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.