A Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) deu início esta semana na “Operação Volta as Aulas”, que tem como finalidade garantir os direitos dos país durante as compras do materiais escolares.

O coordenador do Procon, Juca Lemos (PT), relatou que os fiscais do órgão já iniciaram as visitas nas escolas  onde é solicitada a lista de materiais para averiguar se existe exageros e requereu junto as livrarias e papelarias os valores dos produtos bem como os materiais em promoção, com a descrição das marcas.

Juca afirma que as escolas não podem solicitar matérias de uso coletivo, como por exemplo, produto para atividades de laboratório, utensilio de primeiros socorros, copos, talheres e pratos descartáveis, papel para flip chart, fita e toner para impressora dentre outros produtos.

Leia também:  Rondonópolis terá 'Festival Estudantil de Teatro' nesta quinta e sexta-feira

Como forma de economizar na hora de comprar os materiais escolares o coordenador orienta que não sejam adquiridos produtos com personagens, logotipos e assessórios licenciados. Fazer uma cotação nas papelarias e se possível reunir com pais de outros estudantes para uma compra em conjunto, de modo que pode ser requerido um desconto maior.

Segundo Juca, na próxima semana, possivelmente, o Procon irá disponibilizar uma lista com os valores pertinentes aos materiais escolares, como forma de ajudar aos pais dos alunos.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.