As escolas indígenas estão com o quadro de professores completos. A lotação foi realizada na tarde desta quarta-feira (30) na Secretaria Municipal de Educação com a contratação de 18 professores e 10 auxiliares de serviços diversos. Ao todo, as escolas atendem índios na educação infantil e ensino fundamental nas escolas Leosídio Fermau (aldeia Tadarimana), Toribogo Arua (Praião) e Pobore, todas da etnia bororo.

As aulas para os alunos indígenas serão iniciadas no próximo dia 11 de fevereiro, em pleno carnaval. As escolas possuem calendário diferenciado, seguindo os costumes dos bororo. Na sala de aula, além do português, os índios aprendem a língua nativa e todo o conteúdo é adequado a realidade da tribo.

Leia também:  Abastecimento de água continua setorizado em 6 bairros de Rondonópolis

O estudante de Pedagogia, Marcelo Alves Terena Coguiepa já trabalha há 3 anos na escola que funciona na Aldeia Tadarimana, lecionando matemática para as salas de 2ª e 3ª fases do Ciclo Fundamental. De acordo com ele, a possibilidade do aluno indígena estudar na própria aldeia é relevante porque permite que o ensino seja feito levando em consideração a cultura indígena.

Ele próprio foi alfabetizo na escola onde hoje leciona. Agora pretende terminar o curso de Pedagogia e seguir carreira de professor lecionando sempre para pessoas da sua própria etnia. “Entendo que assim podemos lutar pela nossa comunidade, fortalecendo o povo indígena”.

Jair Mendes Cibaetawu, também bororo, foi um dos aprovados no seletivo deste ano. Veio de mudança da aldeia Merure, de General Carneiro, para a Tadarimana. Formado em Ciências Sociais, leciona História, Geografia e terá o desafio de passar o conhecimento religioso para os índios sem interferir na cultura bororo.

Leia também:  Totens digitais de autoatendimento serão instalados em Rondonópolis

O índio que quis ser Padre, agora é professor e entende que o povo indígena não pode ser uma ilha, mas deve estar aberto para o conhecimento do mundo. “Temos que buscar fortalecimento cultural e étnico, temos que conhecer o mundo, mas valorizar sempre a nossa cultura”.

Além da lotação dos professores indígenas também foi realizada a de dois professores para atender as escolas rurais da Fazenda Farias, Rui Barbosa e Marajá, também foram lotados dois auxiliares de serviços gerais. Todos aprovados no processo seletivo.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.