O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, disse hoje (23) que se as negociações com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) não avançarem, não dará andamento no acordo de paz com a guerrilha, que vem sendo articulado em Havana (Cuba), segundo informações da televisão estatal Telesur.

“A medida que avançarmos, estaremos satisfeitos. Sem avanços, paramos a mesa [de negociação]”, disse o presidente. “O que esperamos é avançar em Cuba para chegar a um acordo. E assim se firmar a paz por meio de acordos, e não de cartas, manifestações, e sim de acordos concretos”.

Santos acrescentou que “as regras do jogo são muito claras”. “Aqui não há trégua de nenhuma natureza, nem militar, judicial e nem verbal. Essas são as condições impostas desde o início”.

Leia também:  Um mês após furacão Maria regiões atingidas permanecem sem energia

As Farc reagiram ontem (22) ao anúncio do governo colombiano de que irá entregar a camponeses 500 mil hectares de terra que teriam sido usurpados pela guerrilha. Segundo comunicado do líder máximo das Farc, Timoleón Jiménez, conhecido como Timochenko, a atitude “coloca em dúvida se o governo quer mesmo a paz”.

No comunicado, a guerrilha pediu a criação de uma comissão composta por representantes do governo, das Farc e de organizações sociais para investigar a situação real das terras em San Vicente de Caguán, departamento de Caquetá, Sudeste do país, onde o presidente Juan Manuel Santos anunciou a entrega de títulos aos camponeses.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.