O Conselho Estadual de Desenvolvimento Empresarial (Cedem) aprovou mais de R$ 100 milhões em intenções de investimentos para Mato Grosso com enquadramento de 30 empresas que solicitaram o pedido de financiamento junto ao programa do FCO Empresarial, Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste. Juntas, essas empresas informaram que pretendem gerar aproximadamente R$ 40 milhões em investimentos para o Estado, proporcionando 360 novas vagas de empregos diretos e mais 317 indiretos. O FCO é destinados a projetos de implantação, ampliação e modernização de empresas em vários segmentos. Não foram informadas as cidades onde os investimentos devem ser feitos.

Também foram aprovadas cinco cartas consultas para o Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial de Mato Grosso (Prodeic), que, juntas, renderão cerca de R$ 58 milhões em investimento para o Estado, gerando 236 empregos diretos e 708 indiretos. Este programa tem o objetivo de beneficiar as empresas aprovadas no Cedem com a redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), informa a assessoria.

Leia também:  Mato Grosso cai duas posições no ranking de competitividade

O secretário estadual de Indústria e Comércio, Alan Zanatta, disse que o governo de Silval Barbosa tem trabalhado para atrair novos empreendimentos para o Estado. “Estamos de portas abertas para todos os setores que queiram investir em Mato Grosso. O Cedem proporciona o crescimento industrial e do comercial do Estado, gerando mais emprego e renda para os municípios”, ressalta Zanatta.

Outros enquadramentos também foram aprovados, como duas reservas de áreas no Distrito Industrial de Cuiabá, uma aprovação para o Porto Seco e 35 solicitações para o Fundo Partilhado de Investimentos Sociais (Fupis), que está sendo gerenciado pela Sicme e fomenta as ações e projetos sociais da Secretaria de Trabalho e Assistência Social (Setas-MT).

O Cedem, vinculado à Secretaria de Indústria, Comércio, Minas e Energia (Sicme), é responsável em estudar, propor e opinar sobre as diretrizes e estratégias de desenvolvimento dos setores da indústria, do comércio, da mineração e energia de Mato Grosso. O Conselho é formado por 19 representantes, entre secretarias de Estado e Banco do Brasil, que juntas apreciam e julgam os pedidos de incentivos fiscais e financiamentos, de acordo com a legislação específica.

Leia também:  Mato Grosso lança projeto de PPP em tempo recorde
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.