Manifestante participa de ato pela saúde de Hugo Chávez, nesta terça-feira (26), diante do hospital militar em que ele segue internado em Caracas (Foto: AFP)
Manifestante participa de ato pela saúde de Hugo Chávez, nesta terça-feira (26), diante do hospital militar em que ele segue internado em Caracas (Foto: AFP)

O vice-presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, garantiu nesta terça-feira (27) que o presidente Hugo Chávez está em condições de dar ordens e “conta com uma equipe de governo absolutamente subordinada a seu comando”, apesar de convalescer de um tratamento contra o câncer.

“Ele pode dar ordens porque é um chefe legítimo de uma revolução, porque tem um povo leal que nunca lhe faltou, porque tem equipes de homens e mulheres que são subordinados absolutamente ao seu comando, a sua liderança”, destacou Maduro.

O governo afirma que Chávez – que não aparece em público desde que foi operado em Cuba de um câncer em dezembro passado – permanece à frente do país e tomando as decisões.

Leia também:  Coreia do Norte lança míssil em território japonês e deixa Rússia com grande preocupação

O presidente venezuelano, que manteria reuniões esporádicas com sua equipe de governo durante a convalescença, estava hospitalizado desde dezembro em Havana, mas na semana passada voltou a Caracas, onde foi internado no Hospital Militar.

Nas últimas dez semanas, os venezuelanos viram Chávez apenas em quatro fotos – junto com suas filhas mais velhas – tiradas no hospital de Havana.

Chávez, de 58 anos e no poder desde 1999, enfrenta um câncer em local não revelado desde 2011.

Reeleito no dia 7 de outubro, Chávez não se apresentou para a posse no Legislativo em 10 de janeiro, como determinava a Constituição, mas o Supremo Tribunal de Justiça admitiu empossá-lo posteriormente, no próprio organismo.

Leia também:  Ataque terrorista em restaurante de país africano deixa 18 mortos e 10 feridos

Maduro reafirmou nesta terça-feira que Chávez enfrenta um processo “complexo” e respira através de uma traqueotomia que lhe dificulta a fala, e criticou a oposição por tratar de aproveitar este momento “difícil” que atravessa o governo para tentar “desestabilizar” o país.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.