O gerente de uma agência bancária e toda a família dele foram feitos reféns durante cerca de 12 h, na casa onde moram, em Trindade, na Região Metropolitana. Eles só foram libertados depois que o funcionário do banco foi à instituição financeira com vários explosivos acoplados na cintura e retirou a quantia de dinheiro exigida pelos criminosos. A Polícia Civil afirma que a quadrilha é de alta periculosidade.

Os policiais informaram que o sequestro começou na terça-feira (26), por volta das 23h. Em depoimento à Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic), na noite de quarta-feira (27), o gerente do banco contou detalhes da ação do grupo.

O delegado que cuida do caso, Valdemir Pereira da Silva, afirmou ter ficado surpreso com o modo que os sequestradores agiram. “Ficamos surpreendidos com a conduta dos assaltantes, o que demonstra que eles são de alta periculosidade”, ressaltou. A Polícia Civil suspeita que os criminosos façam parte de uma quadrilha, que possui 15 integrantes.

Leia também:  Cerca de 200 Kg de cocaína é apreendida dentro de botijões em Manaus

Conforme o delegado, o grupo deixou pistas que podem ajudar na identificação dos envolvidos. Eles teriam usado cinco veículos na ação, comenta Valdemir Pereira. Inclusive a polícia recuperou um deles, que tinha sido roubado na terça-feira. Além disso, objetos da casa onde o sequestro ocorreu foram recolhidos pela Polícia Técnico Científica para serem periciados.

Valdemir Pereira informou ainda que a Polícia Civil já estava investigando uma quadrilha de sequestradores que age em vários estados. Na terça-feira, foram presos dois homens suspeitos de investigar a vida de um gerente de banco de Montes Claros (MG).

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.