O deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) foi eleito na noite deste domingo o novo líder do partido na Câmara. O cargo é um dos mais estratégicos da Casa, uma vez que a legenda conta com a segunda maior bancada e influencia diretamente na pauta de votações do plenário. Cunha disputou o segundo turno com o deputado Sandro Mabel (PMDB-GO) e venceu com 46 votos. Mabel recebeu 32 votos e houve duas abstenções.

A eleição para a liderança, que não era realizada há seis anos, foi marcada por uma série de acusações nos bastidores entre Eduardo Cunha e Sandro Mabel. O deputado fluminense é visto como um parlamentar difícil de negociar e, por vezes, chegou a ser acusado de chantagear o governo. Já Mabel, que voltou ao PMDB em 2011 depois de sair do PR, não é visto por parte dos correligionários como um peemedebista puro.

Leia também:  Vereador Rodrigo da Zaeli propõe projeto que beneficia servidores públicos

O gaúcho Osmar Terra, que desde 2011 é um dos líderes de uma corrente interna chamada Afirmação Democrática, prega maior independência do partido em relação a algumas posições do governo, o que não agrada a todos dentro da legenda.

No primeiro turno da eleição, Cunha teve 40 votos, Mabel contou com a preferência de 26 deputados e Terra recebeu 13 votos. Para ser eleito no primeiro turno, Eduardo Cunha precisava do apoio de 41 peemedebistas. O partido tem a segunda maior bancada da Casa, com 81 deputados, atrás do PT, com 88 deputados.

O atual líder e candidato à presidência da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), se absteve da votação para não parecer que estaria pendendo para o lado de Cunha ou de Mabel, uma vez que gostaria do apoio de ambos para a eleição de amanhã.

Leia também:  Novo complexo para Politec é debatido em audiência pública

Mais cedo, o parlamentar goiano ameaçou recorrer à Justiça porque dois deputados teriam participado da eleição sem serem oficialmente empossados em suas vagas na Câmara. Leomar Quintanilha (TO) e Marcelo Guimarães (BA) assumirão os mandatos de Lázaro Botelho (PP-TO) e João Bacelar (PP-BA), respectivamente, em uma articulação promovida pelo adversário.

PODER

A função da liderança do PMDB é encaminhar as votações nas comissões e no plenário, além de designar deputados para relatorias de projetos e participar das negociações para a indicação de ministros. Os líderes também podem fazer uso da palavra em qualquer momento das sessões.

Os líderes ainda são responsáveis por indicar os deputados para compor as comissões técnicas, especiais e temporárias, e registrar os candidatos para concorrer aos cargos da Mesa Diretora. Junto com o presidente da Câmara, eles participam das reuniões do Colégio de Líderes, que define as matérias que irão para a pauta do plenário.

Leia também:  Desembargador manda soltar Luiz Soares
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.