Foto: assessoria
Foto: assessoria

A critica situação das BRs que cortam Mato Grosso, principalmente a BR-163 que vai de Norte a Sul e é a principal artéria para escoamento da safra agrícola e dos produtos do Estado, levou empresários de cerca de 20 municípios do Médio Norte de Mato Grosso a se reuniram com o 1° secretário da Assembleia Legislativa, Mauro Savi (PR) e com os deputados Dilmar Dal’Bosco (DEM) e Zé Domingos Fraga (PSD) que convocaram os secretários da Casa Civil, Pedro Nadaf e dos Transportes, Cinésio Oliveira, além do superintendente do DNIT, Luiz Garcia.

“Chegamos longe, mas não é possível mais paliativos. É preciso se ter uma solução em definitivo para a questão das rodovias federais e estaduais em Mato Grosso”, disse Mauro Savi recebendo a sinalização do Dnit de que operação tapa buraco emergencial vão possibilitar uma melhora no tráfego até que as obras definitivas e até mesmo a concessão para a iniciativa privada permita se ter obras constantes e regulares na manutenção da principal rodovia de Mato Grosso.

Leia também:  MT fica em 2° lugar no ranking nacional de contratações com carteira assinada

O superintendente do Dnit, disse que empreiteiras contratadas estão realizando o emergencial enquanto se aguarda a licitação para contratação de empreiteiras para as obras de recapeamento e duplicação da BR 163 no trecho de Rondonópolis, passando por Cuiabá até Posto Gil e o município de Sinop.

O secretário Pedro Nadaf considerou como principal estrangulamento da rodovia os 20 km da Rodovia dos Imigrantes que corta Cuiabá e Várzea Grande e que está levando cerca de 4 horas para ser vencido pelos caminhões por causa de sua situação critica. “Já decretamos estado de emergência e o governador Silval Barbosa (PMDB) está se reunindo neste momento com o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos para encontrar uma solução definitiva para este trecho e para esta rodovia.

Leia também:  MPE denuncia estudante por homicídio triplamente qualificado e requer manutenção de prisão
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.