Seis municípios de Mato Grosso que são Alta Floresta, Castanheira, Cotriguaçu, Guiratinga, Nova Brasilândia e Nova Nazaré decretaram situação de emergência devido às intensas chuvas das últimas semanas. A principal preocupação tem sido com relação às estradas que dão acesso às cidades, pois há atoleiros e pontes em situação crítica.

A Defesa Civil do Estado tem analisado as decisões das prefeituras que, ao decretarem situação de emergência, podem fazer obras de recuperação mais rapidamente e “eliminando” algumas questões burocráticas que podem resultar em demora para arrumar rodovias e pontes.

“As cidades solicitaram vistorias da Defesa Civil para apurar os prejuízos e riscos para a população. Essas informações estão sendo coletadas para que as medidas cabíveis possam ser estabelecidas”, disse o agente da Defesa Civil, Benedito de Araújo Gomes.

Leia também:  Mato Grosso está em 2º lugar no ranking de focos de calor em 2017

Para o secretário de Infraestrutura de Cotriguaçu, Gilmar Prange, o volume de chuvas desde o começo do ano está muito acima do normal dos últimos anos. Segundo ele, a última vez que choveu tanto assim foi no final dos anos 80. “Temos três trechos das rodovias MT-170 e MT-208 interditados porque a pista já foi parcialmente ou totalmente destruída. Além disso, ao longo das estradas estaduais e vicinais, pontes e bueiros atrapalham o tráfego de veículos e barreiras desmoronaram”.

Também no noroeste de Mato Grosso, o município de Castanheira vive em situação de emergência há algumas semanas. O ponto mais crítico tem sido a MT-170 que liga a cidade à Juruena (região Noroeste). De acordo com o chefe de gabinete da prefeitura, Júnior Rios, há cerca de dez dias, famílias estão isoladas em atoleiros na rodovia. Ele afirma ainda que já foi encaminhado à Defesa Civil um pedido para que a situação da cidade seja analisada.

Leia também:  Cerca de 20% dos servidores da Politec não fizeram o recadastramento em 2017

“O município não tem condições de prestar toda a ajuda necessária para aquelas famílias isoladas. É preciso um maquinário pesado para retirar as carretas e caminhões atolados e consertar as pontes caídas durante as chuvas. O que vem sendo feito até o momento é o envio de alimentos e assistência médica a eles”.

A MT-110 que liga a cidade de Guiratinga à Tesouro (região Sul) também tem trechos interditados por conta das chuvas. Segundo o presidente da comissão municipal da Defesa Civil de Guiratinga, Ari Bonilha, os motoristas têm tido que cortar 250km em Alto Araguaia (região Sul) para voltarem à rodovia onde ainda é possível trafegar.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.