Os condutores de automóveis e motocicletas devem redobrar a atenção nas ruas e rodovias nos dias de carnaval. De acordo com dados estatísticos da Seguradora Líder DPVAT, que administra o Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT), obrigatório no país, pela primeira vez no ano passado, desde 2006, as motocicletas lideraram o número de ocorrências de mortes no carnaval que geraram pedidos de indenizações pelo seguro DPVAT. Foram ao todo 349 mortes provocadas por esse tipo de veículo, contra 301, em 2006. No mesmo período, as mortes no carnaval por automóveis caíram de 384 para 336, no ano passado.

Em 2006, o total de ocorrências de sinistros no carnaval por motocicletas foi 1.801. Em 2012, evoluiu para 3.327. Ainda para esta categoria de veículo, que representa 27% da frota nacional, os casos de invalidez permanente cresceram 218,3%, passando de 684, no carnaval de 2006, para 2.177, em 2012.

Leia também:  Morre juíza atingida por concreto em acidente em SP

As ocorrências de sinistros com pedidos de indenizações causados por automóveis durante o carnaval caíram de 1.327, em 2006, para 1.101, no ano passado. Já as ocorrências de invalidez permanente no carnaval por automóveis tiveram expansão, passando de 364, em 2006, para 514, em 2012.

Os homens são as maiores vítimas fatais das ocorrências de acidentes envolvendo veículos automotores no carnaval, respondendo por 81% das indenizações pagas por morte pelo seguro DPVAT, sendo que 41% estão na faixa dos 18 aos 34 anos.

Os dados revelam, ainda, que os dias da semana que registram maior incidência de ocorrências com pedidos de indenização desse seguro no carnaval são o sábado e o domingo, com 43,7% das ocorrências, no ano passado.

O DPVAT pagou um total de 776 indenizações provocadas por morte, em acidentes registrados no carnaval de 2012. A Seguradora Líder DPVAT estima que esse volume ainda deverá crescer, porque os pedidos de indenizações podem ser feitos até três anos após a data do acidente.

Leia também:  Durante assalto crianças entre 5 e 10 anos são feitas reféns em SP

O aumento do uso de álcool e drogas, que amplia o número de acidentes de trânsito na época do carnaval, é uma das preocupações da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT). “Os acidentes vêm junto com tudo que é liberado no carnaval”, disse o coordenador da comissão de campanhas da entidade, Miguel Akkari. Segundo ele, os acidentes durante as festas podem ser evitados, desde que as pessoas tomem os cuidados necessários.

A cada ano, o Brasil registra 42 mil mortes por acidentes de trânsito, de acordo com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Dados do Ministério da Saúde mostram que 70% dos serviços de emergência nos hospitais atendem vítimas de acidentes de trânsito, cujo custo para a sociedade equivale a 2% do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de bens e serviços produzidos no país.

Leia também:  Aluna se revolta ao ser pega colando e tenta esfaquear professor

O seguro DPVAT foi criado em 1974. Trata-se de um seguro de caráter social, cuja finalidade é indenizar vítimas de acidentes de trânsito, sem apuração de culpa, seja ela motorista, passageiro ou pedestre. O DPVAT oferece coberturas para três naturezas de danos: morte, invalidez permanente e reembolso de despesas médicas e hospitalares. O pagamento da indenização é feito em conta corrente ou poupança da vítima ou de seus beneficiários, em até 30 dias após a apresentação da documentação necessária. O valor da indenização é de R$ 13.500 no caso de morte e de até R$ 13.500 nos casos de invalidez permanente, variando conforme o grau da invalidez, e de até R$ 2.700 em reembolso de despesas médicas e hospitalares comprovadas.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.