O que pode ser mais um escândalo envolvendo o nome do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB) está batendo a sua porta. Desta vez trata-se de verba indenizatória do gabinete do deputado federal Renan Filho (PMDB), filho do senador.

Segundo a Folha de São Paulo, Renan Filho estaria usando a verba indenizatória para pagar honorários de escritórios alagoanos que representam a dupla em demandas particulares, nas justiças comum e trabalhista.

O repasse começou em 2011 e até agora os escritórios já receberam pouco menos que R$ 190 mil, na justificativa apresentada à Câmara para o gastos, Renan Filho alega que o escritório de Omena presta, de Maceió, serviços de consultoria e assessoria parlamentar na elaboração de projetos e relatórios que apresenta no Congresso.

Leia também:  Ferraz deve fazer nova reportagem sobre grampos

VERBA INDENIZATÓRIA

As verbas indenizatórias são recursos distribuídos aos deputados para custear a atividade parlamentar, como passagens aéreas, telefone, correio e aluguel de escritórios políticos. Os valores variam de R$ 23 mil para deputados do DF até R$ 34,2 mil para os de Roraima.

EM TEMPO

Graças aos Calheiros, o escritório Omena Barreto Advogados Associados, principal fornecedor de serviços ao deputado federal, também amealhou, sem licitação, contrato com a Prefeitura de Murici, governada pelo tio de Renan Filho e irmão do senador Renan Calheiros, Remi Calheiros (PMDB), que sucedeu a Renan Filho no cargo em 2010. O extrato do contrato, assinado pelo prefeito em 2011, prevê a prestação de serviços para o levantamento e recuperação de créditos tributários. Conforme o advogado, a concorrência não se aplicaria para serviços desse tipo: “Escritório de advocacia é com inexigibilidade. A técnica do advogado, nem todos têm”.

Leia também:  Ministro nega pedido de habeas corpus para ex-comandante da PM
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.