A representante da França no Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), Yamina Benguigui, pediu ontem (26) o “envio urgente” de uma missão de observadores para o Mali (África). O clima de guerra é diário no país, com o enfrentamento entre forças do governo e grupos radicais. Há suspeitas de violação de direitos humanos em decorrência do elevado nível de violência.

A representante francesa disse que devem cumpridos os compromissos relativos à preservação dos direitos humanos e à luta contra a impunidade. O apelo ocorreu durante sessão do conselho em Genebra, na Suíça.

O Alto Comissariado para os Direitos Humanos informou que uma missão da ONU, composta por quatro pessoas, está desde o último dia 17 em Bamako, a capital do Mali. Por duas semanas, a equipe investigará os casos de violação dos direitos humanos e deverá apresentar as conclusões ao Alto Comissariado.

Leia também:  Cerca de 40 milhões de pessoas ainda são vítimas de escravidão no mundo

A intervenção militar da França no Mali teve início em 11 de janeiro. As tropas francesas apoiam as forças aliadas do governo no combate aos grupos extremistas islâmicos, que atuam principalmente no Norte do país.

Benguigui ressaltou que a intervenção militar francesa ocorreu “para responder, em concertação com as instâncias regionais, ao pedido das autoridades do Mali” e depois de as Nações Unidas terem confirmado a gravidade das violações de direitos humanos cometidas no território durante quase um ano.

Em dezembro, o Conselho de Segurança da ONU aprovou o envio de um grupo de observadores para o Mali, com o objetivo de integrar uma missão internacional de apoio. A representante francesa pediu ainda que o Conselho dos Direitos Humanos “adote uma resolução forte” sobre o país africano.

Leia também:  Explosivo é detonado em estação de metrô e ônibus em Nova York; suspeito é detido
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.