O presidente da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Rondonópolis (ACIR), Luiz Fernando Homem de Carvalho, solicitou novamente urgência na solução para as câmeras de vídeo monitoramento do município. No entanto, na conversa com o novo secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante dos Santos, que assumiu a pasta no dia 8 deste mês, o dirigente destacou que a operacionalização dos equipamentos precisa ser através de fibra óptica e não via rádio como era feita.

O secretário recebeu novos ofícios da entidade e disse que irá solucionar o problema dentro de no máximo 60 dias. Luiz Fernando ressaltou, assim como já havia colocado ao ex-secretário Diógenes Curado no dia 29 de janeiro, que através do sistema de rádio o monitoramento sofre muitas interferências e tem a capacidade de utilização reduzida para cerca de 30%. “Se não for por fibra óptica não há como atender a cidade, seria o mesmo que deixar como está hoje”, observou.

Leia também:  Esquadrilha da fumaça faz show aéreo em Rondonópolis

O gestor também reforçou ao secretário que o Gabinete de Gestão Integrada (GGI) aguarda a confirmação de uma reunião para debater a questão. Segundo o secretário, 60 dias também é o prazo para a entrega do Centro de Comando, Controle e Inteligência – C3I, no município. O C3I irá integrar os trabalhos das polícias e do Corpo de Bombeiros e no mesmo local será feito o monitoramento das imagens das 26 câmeras.

 

 

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.