(Foto: Alexander Semenov/Barcroft Media)
(Foto: Alexander Semenov/Barcroft Media)

O fotógrafo e mergulhador russo Alexander Semenov voltou a descer nas águas geladas da costa noroeste da Rússia para fazer novos registros da população de águas-vivas da região.

‘A fauna marinha deste mar gelado é surpreendente e diferente de tudo que é visto nos mares mais quentes, que você geralmente vê na TV ou em livros de fotografia’, afirmou Semenov.
A água-viva-juba-de-leão (acima) é uma das espécies do mundo. Pode chegar a um diâmetro de dois metros com tentáculos contendo milhões de células que queimam, mas não são letais delicadas e coloridas, as águas-vivas têm corpos quase translúcidos em forma de disco voador, com órgãos reprodutivos de cores fortes no centro.

Leia também:  Duas crianças ficam gravemente feridas ao serem baleadas dentro de creche por coleguinha

Apesar de sua aparência delicada, elas são grandes predadoras, se alimentam de moluscos, crustáceos e vermes. As águas-vivas são encontradas no oceanos Atlântico, Pacífico e Índico.

Semenov é chefe de uma equipe de mergulhadores da Estação Biológica no Mar Branco, a quase 15 quilômetros do vilarejo mais próximo. Ele faz fotos da fauna da região do Mar Branco há anos.

‘Muitos cientistas estão fazendo trabalhos empolgantes, mas não conseguem apresentar os resultados visualmente’, afirma Semenov.

‘Parte do meu trabalho é fornecer a eles o material ilustrativo, se elas acabam sendo fotos artísticas, então é legal.’

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.