O governo da Venezuela inaugurou esta semana o novo sistema de televisão digital aberta (TDA) no país. A meta é alcançar 58,3% da população venezuelana com o sinal digital aberto gratuito. O governo definiu que a plataforma terá 11 canais estatais e três privados. O canal Globovisión, principal opositor do governo ficará fora da TDA.

Para instalar o sistema, o vice-presidente da República, Nicolás Maduro, anunciou um investimento de U$ 256 milhões de dólares. Segundo Maduro, o dinheiro será investido na instalação de teleportos, 13 antenas de transmissão e nove estações adicionais em território venezuelano.

Ao lançar o projeto em Caracas, ao lado de Maduro, o ministro de Ciência e Tecnologia do país, Jorge Arreaza, disse que a plataforma digital terá 11 canais estatais e três privados (Meriado TV, Venevisión e Televen) e alguns comunitários.  O sinal da TV digital do país tem tecnologia japonesa e seus decodificadores serão montados no país com tecnologia brasileira e argentina.

Leia também:  Criador de píton é encontrado estrangulado ao lado de cobra no Reino Unido

Depois do anúncio, a TV Globovisión questionou o fato de não ter entrado na lista dos canais escolhidos para operar com sinal digital. Em entrevistas à imprensa local e estrangeira, o consultor jurídico da Globovisión, Ricardo Antela, disse que com a implementação da TDA, o sinal da emissora poderia sair do ar mesmo antes do término da concessão.

O advogado da empresa disse que “quando o sinal analógico for apagado, só os meios escolhidos pelo governo estarão autorizados a fazer transmissões no país”.  Antela disse que o grupo solicitou à Comissão Nacional de Telecomunicações da Venezuela (Conatel) a data exata da mudança de sinal, mas, segundo ele, a comissão “ignorou a solicitação”.

Ricardo Antela assegurou que a Globovisión acionará a Justiça. “Mas como já aconteceu antes, nenhum tribunal dará ao canal direito à justiça”, disse.

Leia também:  Empresário opta ir nadando para o trabalho para evitar stress do trânsito

O ministro da Ciência e Tecnologia, Jorge Arreaza, respondeu hoje (22) as queixas da emissora via Twitter. Segundo ele, a Globovisión não foi incluída na plataforma digital, por não ser um canal de cobertura nacional. “Não há nenhum canal com cobertura regional convidado”, respondeu Areaza a um seguidor no microblog que pedia uma explicação para a exclusão da Globovisión do sinal digital.

O governo também diz que ainda haverá sinal analógico até 2015, ano em que termina a concessão da Globovisión.

A implementação do sistema é parte de um convênio de cooperação bilateral firmado em 2004 com o presidente Hugo Chávez e o ex-presidente argentino Néstor Kirchner. O acordo prevê a compra mínima pela Venezuela de 300 mil codificadores fabricados pela Argentina, para adaptar os televisores analógicos.

Leia também:  Países apostam em faixa de pedestre em 3D para diminuir atropelamentos
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.