Os bancos lideram o “ranking” de reclamações feitas por clientes ao Procon, em fevereiro. Balanço aponta que, dos 1.295 pessoas que apontaram problemas, 150 são relacionados às agências. As principais queixas são relativas as cobranças indevidas, como tarifas ou serviços sem prévio conhecimento do consumidor e até mesmo sem amparo legal. Energia elétrica (146), água e esgoto (97) e telefonia fixa (90) figuram em seguida.

As reclamações relacionadas à TV por assinatura ficaram em quinto lugar, com 55 registros. Porém, a cada mês constata-se um incremento, pelo não cumprimento de oferta seja pelo preço do serviço ou a qualidade que não são iguais aquelas anunciadas pela prestadora. Completam ainda o levantamento, em seguida, queixas relativas a telefone celular (53), contratos, (34), microcomputador, cartão de loja e cartão de crédito (30), além de móveis para quarto (28).

Leia também:  Municípios mato-grossenses podem aderir ao Selo Unicef

A Superintendente de Defesa do Consumidor, Gisela Simona Viana de Souza, ressaltou que as empresas devem estar mais atentas aos consumidores. “O fornecedor deve se preocupar mais com o direito de informação do consumidor, uma vez que tendo uma informação que deve ser clara, precisa e ostensiva, na forma que determina a lei, muitas lesões sofridas poderiam ser evitadas, já que o consumidor teria mais critérios para exercer o seu direito de escolha”, disse, por meio de assessoria.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.