O governo do Estado vai construir, dentro do “Programa Minha Casa, Minha Vida”, cerca de 50 mil unidades habitacionais em todos os municípios mato-grossenses. Isso significa um investimento de R$ 2,8 bilhões ao longo de dois anos. O anúncio foi feito pelo vice-governador e secretário de Estado de Cidades, Chico Daltro (PSD), que comandou as negociações com Secretaria do Tesouro Nacional e alterou o teto para contratação de créditos na ordem de R$ 210 milhões referente a contrapartida do governo.

Daltro destaca a importância desses investimentos. Ele lembra que além de atender a demanda por moradia, esse investimento, vai gerar emprego e renda em todos os 141 municípios mato-grossenses com a contratação de mão-de-obra durante o período de construção.

Leia também:  MPE notifica Poderes para que travestis e transexuais possam usar ‘nome social’

A Secretaria de Estado de Cidades vai acelerar os processos de licitações de novas unidades e também reativar os contratos que dependiam de uma solução, como a questão da contrapartida por parte do Estado para as casas voltadas para famílias de baixa renda. A solução só foi possível porque o Estado de Mato Grosso, conforme destaca o governador Silval Barbosa, realizou a reestruturação de parte da dívida pública junto aos organismos internacionais.

O valor das habitações dentro do programa Minha Casa, Minha Vida, em Mato Grosso, na região metropolitana, é de R$ 54 mil para apartamento e R$ 53 mil para casa, enquanto para o interior o valor previsto é de R$ 49 mil e para os municípios menores, entre 20 e 50 mil habitantes, o valor é de R$ 45 mil. O agente financeiro continua sendo feitos pela Caixa que deve anunciar em breve a retomada dos novos financiamentos.

Leia também:  Politec realiza programa de capacitação de estagiários nesta sexta-feira
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.