O ministro de Relações Exteriores da Venezuela, Elías Jaua, disse nesta terça-feira (5) que, após a morte do presidente Hugo Chávez, o país vai convocar eleições dentro de 30 dias.

Jaua afirmou também que o vice-presidente, Nicolás Maduro, vai permanecer interinamente no poder.

“Agora se produziu uma falta absoluta [do presidente], assume o vice-presidente o poder como presidente, e eleições vão ser convocadas nos próximos 30 dias”, disse Jaua na TV Telesur.

“Essa é a ordem que nos deu o comandante presidente Hugo Chávez.”

A Constituição da Venezuela prevê que, no caso de morte do presidente, o governo seja assumido pelo presidente da Assembleia, Diosdado Cabello, mas há outras interpretações.

Aguarda-se que o Tribunal Supremo de Justiça, principal corte venezuelana, se pronuncie sobre o tema.

Leia também:  Cerca de 600 pessoas ainda estão soterrados em tragédia de Serra Leoa

Jaua também disse que o país está em “total normalidade” horas após a morte de Chávez.

Jaua afirmou que o corpo de Chávez, que morreu em um hospital militar de Caracas, vai ser levado na quarta-feira ao hall da Academia Militar, em Caracas, onde será velado até sexta, mesmo dia em que ocorrerá seu funeral.

A expectativa é que vários líderes e personalidades latino-americanos participem do velório.

Eles devem participar de uma cerimônia às 10h (11h30 de Brasília) de sexta.

O local do enterro ainda não foi revelado.

O governo também determinou sete dias de luto oficial, segundo o chanceler.

 

Leia Também Venezuela prepara homenagens para Chávez

Leia também:  Onda de calor batizada com o nome de 'Lúcifer" provoca incêndios florestais na Itália
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.