Cerca de 2,5 mil pessoas vindas de todo o país são esperadas para o 11º Congresso Nacional de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais, evento que a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) promove a partir de hoje (4), em Brasília (DF). O evento coincide com a comemoração, este ano, dos 50 anos de fundação da entidade, que reúne 27 federações às quais estão filiados mais de 4 mil sindicatos rurais.

Segundo os organizadores, os representantes da categoria foram escolhidos durante um processo nacional que resultou em mais de 90 reuniões estaduais e regionais. A partir da análise das conquistas e mudanças socioeconômicas dos últimos anos e do debate das atuais necessidades e principais dificuldades da categoria, os delegados deverão traçar as metas do movimento para os próximos anos, fortalecendo a luta da classe trabalhadora rural.

Leia também:  Sancionada lei que permite divulgação cadastral de pedófilos em MS

A abertura do congresso está marcada para as 19h de hoje, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, e deverá contar com a presença de representantes do governo federal, organizações internacionais de trabalhadores e parlamentares. Os debates, contudo, começam pela manhã, com a realização de um seminário internacional sobre violência no campo, previsto para as 11h.

Amanhã (5), durante o período da manhã, o coordenador executivo da organização não governamental Action Aid Brasil, Adriano Campolina, fará uma análise sobre os principais desafios para a implementação do Projeto Alternativo de Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário (Padrss), uma das bandeiras da confederação para se contrapor ao modelo hegemônico de desenvolvimento agrícola hoje praticado no país, fundamentado no agrobusiness.

Leia também:  Dez pessoas são presas suspeitas de venderem carne roubada e imprópria para consumo

Além dos debates e da formulação de propostas para fortalecer a agricultura familiar; assegurar a preservação do meio ambiente, promover a reforma agrária e a segurança alimentar, o congresso contará ainda com uma série de atividades extras.

Na quarta-feira (6), por exemplo, será lançado o livro Retrato da Repressão Política Campo Brasil 1962-1985, com a presença da ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário. No mesmo dia, está prevista para as 10h30 a realização de uma marcha em defesa da cidadania, do desenvolvimento e da valorização do trabalho.

Na quinta-feira (7) será promovido um ato em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, celebrado no dia 8 de março. No último dia do evento (8) haverá a eleição da nova diretoria e do conselho fiscal da Contag. Apenas uma chapa, encabeçada pelo atual presidente da confederação, Alberto Ercílio Broch, se inscreveu para disputar a eleição.

Leia também:  Mais de 900 índios ficam sem moradia após fortes enxurradas em aldeia de RR
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.