Uma lista com o número total de feridos que receberam atendimento médico após o incêndio na boate Kiss, em Santa Maria, foi entregue nesta quarta-feira (6) à Polícia Civil. A relação foi feita pela Secretaria Estadual da Saúde e conta com cerca de 600 nomes. O documento deverá elucidar um dos principais pontos da investigação, que indica a superlotação da casa noturna como agravante para a ocorrência da tragédia do dia 27 de janeiro, que fez 240 vítimas.

Os nomes que estiverem na lista entregue pela secretaria serão confrontados com os nomes das vítimas, dos feridos que ainda estiverem em atendimento e de pessoas que prestaram depoimento. A boate suportava 691 pessoas, segundo os bombeiros.

Leia também:  Trabalhador é morto após ser atropelado e arrastado por 2 Km, motorista não prestou socorro

“Essa listagem vai ser conferida com os nomes das pessoas que prestaram depoimento, das que morreram, e a partir desse cálculo, dessa comparação, vamos chegar a um número aproximado de pessoas que estavam na boate, o que tudo indica que será uma característica de superlotação”, disse o delegado Sandro Meinerz.

Até o momento, a Polícia Civil já ouviu 560 pessoas. A expectativa é que esse  número possa chegar a 700 até a próxima segunda-feira (11), quando a investigação deve ser concluída. O inquérito policial já soma 6 mil páginas com fotos, documentos e depoimentos. O prefeito de Santa Maria, Cezar Schirmer, deve depor na sexta-feira (8).

Entenda
O incêndio na boate Kiss, em Santa Maria, região central do Rio Grande do Sul, deixou 240 mortos na madrugada de domingo, dia 27 de janeiro. O fogo teve início durante a apresentação da banda Gurizada Fandangueira, que fez uso de artefatos pirotécnicos no palco.

Leia também:  PM acusado de matar ciclista atropelado e omitir socorro se entrega e é liberado
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.