Visita em assentamentos para orientação e explicação sobre a regularização. Foto: Assessoria
Visita em assentamentos para orientação e explicação sobre a regularização. Foto: Assessoria

Em Mato Grosso cerca de oito mil famílias de trabalhadores rurais adquiriram terras através de financiamento junto ao ‘Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF)’ ou do ‘Banco da Terra (BT)’. Desse total 70% estão inadimplentes no pagamento das parcelas. De olho nesse alto índice, o Governo do Estado, através da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Rural (Sedraf) tratou de avisar sobre o processo de renegociação de dívidas do PNCF e BT, em andamento pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).

Em 30 dias, três equipes da Sedraf percorreram nove mil km e 53 municípios, visitando assentamento, levantando as demandas delas e orientando as famílias inadimplentes sobre as novas condições de renegociação da dívida. E prazo para regularizar as parcelas do crédito fundiário está há  um dia do fim. O trabalhador interessado tem de ir até a próxima quinta-feira (28) na agência do Banco do Brasil onde foi efetuado o contrato e preencher o pedido de renegociação.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar, Meraldo Sá, todas as parcelas vencidas poderão ser renegociadas. “Feito o pedido de renegociação, o trabalhador tem até o dia 28 de junho para pagar o mínimo de 5% do saldo devedor da última parcela vencida. Se a última parcela é do valor de R$ 3 mil, o beneficiado só vai pagar 5% desse valor, no caso R$ 150. Feito isso ele está automaticamente aderido as novas condições do crédito fundiário, cujo juros baixaram e o prazos aumentaram”, explica Meraldo Sá, ressaltando que aqueles não aderirem a renegociação perdem a terra, que vai a leilão.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.