O delegado de Polícia Civil, Marcelo Jardins, responsável pelo inquérito que apura o assassinato da advogada Alessandra Martignago, 30, (leia aqui) informou que o principal suspeito de ter cometido o crime, Cristiano Inácio dos Santos, 24, aparenta ter um perfil psicótico.

Segundo Jardins, um colega de trabalho de Cristiano disse que o rapaz teria revelado dias antes que estava “ficando” com uma advogada “boazuda e cheia de dinheiro”. No entanto não foi confirmado nenhum indício de que os dois teriam realmente algum tipo de relacionamento.

Alessandra foi degolada na manhã de sexta-feira (29), na cidade de Primavera do Leste (218 km ao Sul da Capital), dentro da sua própria casa. O corpo da advogada foi sepultado no sábado em um cemitério da cidade.

“O colega de trabalho disse que o Cristiano falou que estava saindo com uma advogada. Ele usou a expressão ‘boazuda e cheia de dinheiro’ para descrever a vítima. Ele acreditava nessa fantasia. Isso mostra um perfil psicótico, parece que ele vivia em uma ilusão. Outra situação que mostra esse perfil é o fato dele ter usado o carro de Alessandra para dar voltas na cidade, como se nada tivesse acontecido, ignorando o crime”, informou o delegado.

Leia também:  Dupla é presa por tráfico de drogas em Rondonópolis

Especialistas afirmam que uma pessoa psicótica pode reportar alucinações ou crenças delirantes, e exibir alterações de personalidade e desordem de pensamento. Isso pode ser acompanhado por comportamento incomum.

As investigações mostram ainda que Cristiano não se desfez dos produtos roubados de dentro da casa de Alessandra. “Sabemos que ele tinha furtado a casa da vítima dias antes. Foi registrado queixa disso. Todos os produtos foram localizados na casa que Cristiano morava. Ele não se desfez de nada”.

PERFIL VIOLENTO

O delegado informou ainda que outro traço marcante da personalidade de Cristiano é a violência exacerbada. “Ele é uma pessoa muito violenta. Acreditamos que, para tentar forçar a consumação do delírio de que mantinha um relacionamento com a advogada, ele a espancou para forçar a relação sexual. Ele bateu muito nela, quebrou dentes, maxilar, deixou muitos hematomas, se tivessem um caso isso não seria necessário. Perfil muito violento”, revelou.

Leia também:  Homem é preso por porte ilegal de arma no Terminal Rodoviário de Rondonópolis

A ex-mulher de Cristiano, que prestou serviços domésticos na casa da advogada Alessandra, registrou um boletim de ocorrência contra o suspeito.
Segundo o BO, Cristiano a agrediu e a obrigou a manter relações sexuais forçadas. O ato teria sido cometido na frente de uma criança de 2 anos, filho do casal.

“Ele ameaçou matar a ex-esposa, bateu nela e assim conseguiu manter relações sexuais. Ela registrou o boletim de ocorrência, mas eu não posso dizer qual o andamento desta investigação, foi em outra delegacia”, informou Jardins.

Cristiano também é investigado como o possível autor do assassinato de uma mulher, em novembro do ano passado. Segundo o delegado, o caso que ocorreu em novembro e a morte de Alessandra possuem muitas semelhanças.

Leia também:  Peça de caminhão atinge carro de passeio e criança de 7 anos morre na BR-364

“Ele é um suspeito sim. Estamos investigando e vendo se existe algo que o ligue  ao crime. Testemunhas disseram que viram Cristiano chorando no túmulo da mulher assassinada em novembro. O tipo de violência empregada nos dois casos possui diversas semelhanças”, explicou o delegado.

Cristiano está internado em coma induzido na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional de Rondonópolis (cidade a 210 km de Cuiabá), desde a última sexta-feira. Ele deve passar por uma nova avaliação médica na terça-feira (2).

O suspeito foi perseguido pela Polícia após tomarem conhecimento do crime. Ele estava dirigindo a caminhonete de Alessandra e foi atingido por um tiro. Com o disparo, o suspeito bateu o carro.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.