Classificação no sufoco é a nova moda da Liga dos Campeões. Após os épicos avanços de Real Madrid e Borussia Dortmund, na última terça-feira, o Barcelona precisou suar a camisa para eliminar o Paris Saint-Germain, nesta quarta, na Espanha. Após começar com Messi no banco e sair atrás no placar, o time anfitrião colocou o argentino em campo e buscou um empate por 1 a 1, resultado que colocou o Barça nas semifinais.

Os 96.022 torcedores que foram ao Camp Nou ficaram calados quanto o argentino Pastore recebeu ótimo passe de Ibrahimovic, aos cinco minutos do segundo tempo, ganhou na corrida de Daniel Alves e bateu cruzado para fuzilar Valdés. Só aí o técnico Tito Vilanova resolveu lançar Messi, no lugar do inoperante Fábregas.

Leia também:  Flamengo vence Junior Barranquilla e garante a classificação para a final da Sul-Americana

A entrada do camisa 10, mesmo ainda se recuperando de lesão muscular na coxa direita, alterou completamente o duelo. O PSG passou a atuar totalmente recuado, e se segurava à base dos desarmes do brasileiro Alex e das defesas do goleiro Sirigu.

Mas, como diz o famoso ditado, água mole em pedra dura tanto bate até que fura. Famoso por ser um talismã do Barcelona e sempre marcar em jogos decisivos, o atacante Pedro aproveitou jogada iniciada por Messi e disparou uma bomba de pé esquerdo para balançar as redes do time visitante.

Como o primeiro jogo havia sido 2 a 2 em Paris, a equipe francesa foi obrigada a buscar mais um gol para tentar sair classificada do Camp Nou, mas o Barcelona se trancou com as entradas do zagueiro Bartra e do volante Song, que seguraram o ímpeto adversário e asseguraram a classificação dos catalães para sua sexta semifinal seguida de Champions League.

Leia também:  Seleção brasileira fica no Grupo E estreando o primeiro jogo contra Suíça

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.