O segundo dia de competições do Pan-americano 2013, disputado em San José, capital da Costa Rica, foi bem parecido com o primeiro, pelo menos em termos de conquistas para o Brasil. Se na última sexta, os judocas mais pesados faturaram quatro ouros e oito medalhas ao todo, neste sábado também foram conquistados quatro ouros e oito medalhas no total. Os campeões hoje foram Sarah Menezes (48kg), Felipe Kitadai (60kg), Luiz Revite (66kg) e Rafaela Silva (57kg). As outras medalhas foram quatro bronzes com Ketleyn Quadros (57kg), Érika Miranda (52kg), Charles Chibana (66kg) e Bruno Mendonça (73kg). Gabriela Chibana ficou na quinta colocação.

Com oito ouros, duas pratas e seis bronzes na competição individual, o Brasil reafirmou a sua liderança no esporte no continente americano. Haja visto que nosso maior adversário nas Américas, Cuba, conquistou apenas quatro medalhas douradas. Todos os nossos atletas ficaram entre cinco primeiros colocados e 16 dos 18 atletas chegaram ao pódio.

“No início de um ciclo olímpico, participar de um Campeonato Pan-americano com ainda mais importância depois das mudanças nas pontuações para o ranking mundial e consolidar a hegemonia no continente, fortalece a autoestima dos nossos atletas e o trabalho da comissão técnica. Os resultados vem a somar no planejamento e faz com que cheguemos com objetivos grandes nos Jogos do Rio”, analisou Ney Wilson, gestor técnico das equipes adultas.

Leia também:  Judoca brasileira vence adversária com 11 segundos e se torna a bicampeã mundial

Ser campeão Pan-americano dá aos atletas 400 pontos no ranking mundial. Mas para Sarah Menezes, o título teve um gosto ainda mais especial. Ela passou pela medalhista em Londres 2012, Paula Pareto apenas no Golden score por conta de uma penalização da adversária e na final derrotou a cubana Dayaras Mestre por um wazari e um yuko.

“Foi muito bom ganhar esse título! Essa cubana me atrapalhou dois anos seguidos e estava engasgada. Ganhar dela e ainda mais jogando foi muito especial. Agora elas (Paula Pareto e Dayaris Mestre) vão ter mais respeito”, desabafou a campeã olímpica.

Outra atleta que sentiu um sabor especial no título do Pan-americano foi Rafaela Silva. Ela que depois de Londres subiu de categoria mas não se adaptou, voltou a competir na 57kg, o peso que a levou aos Jogos Olímpicos, exatamente no torneio continental. E não tem o que reclamar quanto ao desempenho.

“Foi muito bom ter ganhado esse título porque me dá confiança e mostra que eu estou em condições de competir em alto nível nessa categoria. Eu não conhecia praticamente nenhuma das adversárias que enfrentei e, na final peguei, uma medalhista olímpica e venci. Então, estou muito satisfeita com o ouro”, disse Rafaela.

Leia também:  Judoca brasileira vence adversária com 11 segundos e se torna a bicampeã mundial

Luiz Revite também comemorou muito a conquista do Pan. Ele, que estreava na competição e que indiretamente compete com Charles Chibana pela vaga de suplente na seleção principal, deu um passo a frente do adversário com o título.

“Estou muito feliz porque essa vitória no meu primeiro Campeonato Pan-Americano me garante 400 importantes pontos no início do novo ciclo, dando uma boa subida na classificação no ranking. Sem falar que eu, particularmente, precisava desta conquista e hoje posso dizer que estou contente”, relatou Revite, ainda na espera para a realização do Doping.

Por sua vez, Felipe Kitadai também enfrentou um adversário difícil na decisão e que contou com o apoio de grande parte dos presentes ao ginásio da Cidade Esportiva de Hatillo. O mexicano Nabor Castillo é um velho conhecido do brasileiro mas deu bastante trabalho para o medalhista de bronze nos Jogos de Londres.

“Foi a luta mais difícil que eu fiz. Desde a base, essa já é a quinta decisão de Pan-americano que faço com ele. Perdi a primeira e ganhei as outras mas dessa vez ele estava bem mais forte, nem parecia o mesmo competidor. Eu estava um pouco inseguro porque essa é só a minha terceira competição depois de Londres mas eu treinei muito e estou muito feliz com esse resultado”, disse Kitadai que venceu todas as cinco lutas no campeonato jogando os adversários.

Leia também:  Judoca brasileira vence adversária com 11 segundos e se torna a bicampeã mundial

Além dos atletas que medalharam neste sábado, foram ouro Mayra Aguiar (78kg), Victor Penalber (81kg), Renan Nunes (100kg) e Rafael Silva (+100kg). Katherine Campos (63kg) e Tiago Camilo (90kg) ficaram com a prata e Rochele Nunes (+78kg) e Luciano Corrêa (100kg) com o bronze. Todos na última sexta, primeiro dia das disputas individuais.

Neste domingo, o Pan-americano de 2013 chega ao fim com a disputa por equipes. No masculino, Brasil e Cuba farão um confronto de alto nível técnico logo na estreia. No feminino, o Brasil faz a primeira luta da competição contra a Guatemala e, se passar, pega logo na sequencia a poderosa Cuba. A competição começa às dez horas da manhã no horário local, uma da tarde no horário de Brasília.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.