Junto com a mudança de clima, o outono traz novas frutas, típicas da estação, às prateleiras de fruteiras e supermercados. Caqui, kiwi, alguns tipos de maçãs de colheita tardia e cítricos como laranja e bergamota voltam a fazer parte da dieta dos habitantes da região sul do país. Bem-estar ouviu as nutricionistas Lenice Zarth Carvalho e Sofia Squeff de Albuquerque, que explicam os benefícios de cada uma delas:

Divulgação
Divulgação

Maçã

Rica em pectina e quercetina, a maçã aumenta a sensação de saciedade reduz a presença de colesterol e toxinas no organismo. Combate, ainda, o câncer e as doenças cardíacas, além de fortalecer estruturas como unhas e cabelo. O cálcio presente na fruta também participa dos estímulos nervosos, enquanto o potássio contribui para o equilíbrio hídrico corporal e atividades neuromusculares. É fonte de vitamina B1, que exerce um papel importante no metabolismo de carboidratos, proteínas e gorduras, produzindo energia corporal e cerebral.

Leia também:  Dieta: muito além do peso na balança
Divulgação
Divulgação

Caqui

Contém vitamina A, nutriente importante para a visão, para o crescimento e desenvolvimento dos ossos — principalmente nas epífises ósseas, durante as fases de crescimento — e para o desenvolvimento e manutenção de tecidos epiteliais, além de ser um bom imunoestimulante. Apresenta também licopeno, um carotenoide inibidor de inflamações e antioxidante, que também contribui na prevenção de doenças crônicas como câncer e cardiopatias. O caqui também é fonte de vitamina C, de cálcio e de fósforo, que atua no DNA e no RNA, no metabolismo energético e na composição dos ossos.

Divulgação
Divulgação

Kiwi

A vitamina C presente na fruta, além de ser um agente importante nas respostas imunológicas, na cicatrização de feridas e no combate a reações alérgicas, também serve para aumentar a absorção de ferro vegetal, quando consumido na mesma refeição. A vitamina possui, ainda, efeito antioxidante, que pode funcionar como anti-hipertensivo e anticancerígeno. O kiwi também é rico em magnésio, que cumpre papel essencial no controle cardíaco, na pressão sanguínea e no sistema neuromuscular, participa das reações de homeostase do pH sanguíneo e é essencial para o transporte e absorção de cálcio. Além disso, age na formação do óxido nítrico, vasodilatador que funciona no controle da pressão arterial. O mineral ainda funciona no metabolismo da glicose e da produção de insulina, e sua deficiência contribui para a formação de substâncias inflamatórias. Cálcio, fósforo e potássio também estão presentes na composição do kiwi.

Leia também:  Sáude | Queimadas deixa o clima mais seco em Rondonópolis
Divulgação
Divulgação

Laranja e bergamota

Também são ricas em vitamina C, como todas as frutas cítricas. O ácido fólico presente na composição de laranjas e bergamotas tem entre suas principais funções permitir o desenvolvimento completo de células vermelhas do sangue, prevenir doenças cardiovasculares, formar neurotransmissores antidepressivos e sintetizar DNA e membranas. A biotina atua na produção de energia e no metabolismo das proteínas e carboidratos, além contribuir para a formação dos cabelos saudáveis, enquanto sua deficiência está relacionada a dermatites, conjuntivites, alopecia e anormalidades no sistema nervoso central. O ácido pantotênico melhora a liberação de energia dos carboidratos e participa do metabolismo da glândula adrenal, contribuindo com efeito anti estresse, contribui para a síntese de gorduras e neurotransmissores e promove a adequada destoxificação do álcool do organismo. Laranja e bergamota são, ainda, fontes de magnésio, fósforo e potássio.

Leia também:  Quatro dicas para cuidar da pele dos cães durante o frio
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.