Campeãs de reclamação de quem luta para ficar com a pele jovem e bonita, as rugas são os sinais mais impiedosos do envelhecimento cutâneo e difíceis de evitar, principalmente por possuírem – segundo pesquisa publicada pelo Journal of Cosmetic Science, dos Estados Unidos- quatro diferentes estágios.

Para se livrar ou, pelo menos, amenizar os efeitos causados pelas marquinhas na face, é preciso conhecer suas características. Por isso, confira, a seguir, os tipos e as particularidades das rugas que mais comprometem a juventude da cútis.

Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock

Rugas finas
Comuns em pessoas de pele branquinha e com pouco mais de 30 anos, as rugas finas estão diretamente relacionadas à perda de colágeno (substância responsável pela manutenção da tonicidade e resistência da pele). Apesar de ser o tipo mais superficial, confere um aspecto quebradiço à cútis, que se agrava, principalmente, pela exposição diária aos raios solares, mas pode ser tratada com peelings superficiais, lasers ablativos, luz intensa pulsada ou cremes manipulados com diversos ácidos, que devem ser receitados por um dermatologista.

Leia também:  Agora a tendência é aproveitar os moletons
Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock

Rugas profundas
Consequências do envelhecimento intrínseco (geneticamente natural) e extrínseco (provocado por agentes externos), as rugas profundas costumam aparecer devido à perda intensa de colágeno e afinamento da derme, principalmente a partir dos 45 anos. “Dermocosméticos com firmadores auxiliam no tratamento, mas, muitas vezes, são necessários lasers mais profundos, como o CO2 e o dual mode”, indica Murilo Drummond, dermatologista e professor titular do Instituto de Pós-Graduação Médica Carlos Chagas, do Rio de Janeiro.

Marcas de expressão
Localizadas na testa, entre as sobrancelhas e ao redor dos olhos, as marcas de expressão são as algozes de quem faz muitos movimentos faciais para se comunicar, independentemente da idade. Para evitar o problema, vale a pena apostar desde cedo nas aplicações de toxina botulínica, capazes de diminuir a intensidade das expressões.

Leia também:  Conheça as tendências de acessórios que são a aposta do momento | Moda e Beleza

Rugas gravitacionais
Causadas, principalmente, pela redução das fibras colágenas e elásticas, as rugas gravitacionais aparecem juntamente com a flacidez dos músculos, deixando sobras de pele, geralmente, no ângulo da mandíbula. “Ela é comum a partir dos 60 anos, embora possa surgir devido ao tabagismo e excesso de sol, que, inclusive, agravam o problema”, afirma Renata Domingues, dermatologista especializada pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). “Volumizadores, aparelhos de radiofrequência e laser Elektra Pixel podem atenuar esses tipos de marcas do tempo”, aponta a especialista.

Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.