Foto: Ricardo Duarte / Agencia RBS
Foto: Ricardo Duarte / Agencia RBS

Você sabia que uma mulher que já engravidou e teve filhos pode ser diagnosticada com infertilidade secundária? Esse é um caso comum e atinge cerca de 20 a 50% dos casais inférteis no Brasil (10-15% da população em idade fértil). De acordo com especialista em reprodução humana João Sabino da Cunha Filho, a infertilidade secundária é a dificuldade em engravidar após um ano de tentativa em mulheres que já engravidaram.

Fatores como infecção, traumas, cirurgias, endometriose, doenças crônicas como diabete, insuficiência renal ou hipotireoidismo são alguns dos responsáveis pela infertilidade secundária. Segundo Sabino, o tratamento é o mesmo da infertilidade primária, mas como a média de idade deste grupo é maior, são mais agressivos.

Leia também:  Tudo que você precisa saber sobre próteses dentárias

– O diagnóstico precoce ainda é a melhor maneira de tratar e aumentar as chances de ter o segundo bebê – destaca.

Entre as possiblidades de tratamento para as diversas causas da infertilidade estão a indução da ovulação, a inseminação intra-uterina, cirurgias para diagnosticar e tratar doenças dos órgãos genitais internos, fertilização ‘in vitro’, ICSI (fertilização ‘in vitro’ com injeção de um único espermatozóide em cada óvulo), doação de óvulos ( indicada para mulheres mais velhas ou que não produzam óvulos), coleta cirúrgica ou com agulha do epidídimo e testículo (para homens que não ejaculam espermatozóides) e doação de espermatozóides.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.