O preço do etanol em Mato Grosso recuou 2 centavos na última semana nas indústrias sucroalcooleiras, logo após o início da moagem da cana-de-açúcar por 80% das unidades instaladas no Estado. Nos postos de Cuiabá, o litro do biocombustível pode ser encontrado cotado entre R$ 1,77 a R$ 1,99, uma diferença de 22 centavos. A baixa nos preços não foi acompanhada nos estados produtores de Goiás e São Paulo, onde o produto encareceu, com respectiva alteração de 2 e 1 centavo no preço do litro.

O cenário foi confirmado pelo indicador semanal Cepea/Esalq, no período compreendido entre 29 de março e 5 de abril. Considerando o valor do combustível sem incidência de impostos, o preço proposto pelas usinas produtoras no Estado alcança R$ 1,46 o litro, ante R$ 1,48/litro na penúltima semana, confirmando uma variação negativa de 1,35%. Em São Paulo, mantida a mesma base comparativa, o preço foi alterado de R$ 1,20/litro para R$ 1,21/litro, numa variação de 0,83%. No estado de Goiás, a majoração foi de 4,67%, subindo de R$ 1,07 para R$ 1,12 o litro.

Leia também:  Feriado deve ter aumento de 42% no fluxo de veículos na BR-163

De acordo com o diretor do Sindicato das Indústrias Sucroalcooleiras de Mato Grosso (Sindálcool/MT), Jorge dos Santos, a queda no preço do etanol na última semana foi possível por causa de uma situação diferenciada no Estado. “Nossa produção atende basicamente a demanda interna e a oferta tem se mantido equilibrada”. Além disso, complementa, a política tributária para o setor, estabelecida pelo regime de estimativa, favorece a manutenção dos preços em patamares inferiores àqueles praticados em outros estados brasileiros. “Ou seja, com base nos dados coletados sobre a produção é definido quanto de imposto será recolhido pelo segmento durante o ano”. Santos diz que essa política tem permitido manter o biocombustível mais vantajoso que a gasolina para o consumidor final há 7 anos em Mato Grosso. Mas, a opinião não é compartilhada pela maioria dos consumidores de Cuiabá, que assim como o representante comercial Felis- berto Ferreira Gomes, acham que o etanol poderia ser mais barato. “A gente encontra álcool mais barato em algumas cidades do interior do Estado do que aqui na Capital”.

Leia também:  Taques inaugura 170 km de rodovias em Paranatinga, Primavera e Santo Antônio do Leste

Como forma de protesto, diz, ele abastece com etanol apenas quando o litro do produto é ofertado abaixo de R$ 1,77. “Eu circulo por Cuiabá inteira e acabo encontrado esse preço mais em conta, principalmente na região do Distrito Industrial”. O proprietário de um posto de combustíveis, Waldir de Castro, relata que está comercializando o biocombustível por R$ 1,77, mas por pressão da concorrência. “Eu não comprei mais barato, mas como tem um posto aqui vendendo nesse preço, eu também tive que reduzir para manter a concorrência”. O gerente de outro posto, Rosinei Salomé Almeida, garante que por enquanto o etanol não foi repassado mais barato para os postos. “Nós compramos a R$ 1,74 o litro na semana passada e estamos vendendo a R$ 1,99 o litro”.

Leia também:  Em 45 dias foi apreendida cerca de 1 tonelada de pescado irregular

Última alteração de preços do produto ocorreu há cerca de 20 dias, completa, quando esteve cotado a R$ 2,19/l. Pela quinta semana seguida, os preços do etanol nos postos de combustíveis são competitivos em relação à gasolina apenas em Goiás e Mato Grosso, de acordo com dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) referentes à semana encerrada em 12 de abril. Nos demais 24 Estados e no Distrito Federal, a gasolina está mais competitiva, assim como na média do Brasil.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.