O funcionamento do Centro de Atendimento Integrado a Saúde da Mulher (Caism), no prédio próprio depende apenas da conclusão do processo licitatório para execução da obra. Desde o mês de janeiro os atendimentos da clinica foram transferidos para o Centro de Especialidades e Apoio ao Diagnóstico Albert Sabin (Ceadas), em razão da interdição do prédio para reforma.

De acordo com a secretária Municipal de Saúde, Marildes Ferreira, somente nesta semana foi dado início no processo de licitação para a reforma do CAISM, em razão de que o projeto para liberação do recurso foi aprovado pelos vereadores na semana passada.

A secretária observou que se tudo ocorrer bem a licitação da empresa para executar e reforma não deve acontecer com menos de 30 dias e só então os trabalhos terão início, a secretária acredita que os ajustes necessários serão rápidos, tão logo a empresa comece  a produzir.

Leia também:  Taxistas rondonopolitanos fazem protesto a favor de PLC 28/2017

Marildes justificou que o fato da secretaria não atuar como gestão própria servia como entrave para realizar alguns procedimentos como a reforma do Caism.

Contudo ao terminar a reforma as mulheres receberão um atendimento de qualidade, com algumas melhorias, como por exemplo, o pleno funcionamento dos exames de mamografia. A secretaria afirmou que deseja implantar também o serviço de ultrassonográfica na clínica, assim como é oferecido no CEADAS.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.