O presidente interino da Venezuela, Nicolás Maduro, iniciou nesta terça-feira (2) a campanha para as eleições de 14 de abril com uma simbólica visita a Sabaneta, cidade natal do falecido presidente Hugo Chávez.

“Vamos cumprir o legado do presidente Chávez e seu testamento”, declarou Maduro, acompanhado por centenas de simpatizantes, membros do governo e parte da família de Hugo Chávez.

“Sentimos o comandante Chávez muito adentro, como um pai. Viemos fazer um compromisso com esta terra que o viu nascer e fazer o juramento de não falhar com ele nunca e ir até as últimas consequências na construção do socialismo”, acrescentou Maduro.

A breve campanha presidencial começou oficialmente nesta terça-feira na Venezuela, quase um mês depois da morte de Chávez, que governou o país a partir de 1999 e havia sido reeleito para um terceiro mandato em outubro de 2012.

Leia também:  Ex-presidente dos EUA George Bush pede desculpas após ser acusado de apalpar atriz

Chávez não teve condições de tomar posse em 10 de janeiro, como previa a Constituição venezuelana. Após sua morte, em 5 de março, foram convocadas eleições presidenciais para a escolha do sucessor, que deverá completar o mandato e governar até janeiro de 2019.

Enquanto Maduro, favorito segundo as pesquisas, escolheu a terra natal de Chávez para iniciar sua campanha, o rival, Henrique Capriles, viajará ao estado de Monagas, no leste.

Seguindo a linha que adotou desde a morte de Chávez, Maduro não poupou elogios a seu padrinho político, que chamou de “profeta”, “gigante da pátria” e “comandante supremo”.

“Quero ratificar um compromisso que fizemos com ele em vida. Eu vou ser presidente deste país porque ele assim ordenou e porque nosso povo o ratificou”, disse.

Leia também:  Peça de helicóptero se desprende e atinge criança dentro de escola no Japão
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.