O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, cobrou hoje de prefeitos a implantação de programas permanentes de combate à dengue. Segundo ele, a pasta registrou relatos de gestores que assumiram municípios em janeiro deste ano sobre lixo acumulado nas ruas, ausência de equipes do Programa Saúde na Família e de agentes de controle de endemia.

“O ministério fez um repasse adicional [de cerca de R$ 180 milhões], além do repasse regular de janeiro a dezembro, para que as prefeituras mantenham programas permanentes de combate à dengue, não só durante o verão”, disse. “Além disso, fizemos uma revisão dos planos de contingência chamando a atenção para que prefeitos, principalmente os que perderam a eleição, não deixassem as cidades abandonadas”, completou.

Leia também:  UTI Neonatal fica sem equipe de enfermagem e bebê prematuro cai de incubadora em hospital do DF

Segundo o secretário, apesar do aumento de casos de dengue registrado nos primeiros três meses de 2013, as mortes provocadas pela doença no país caíram mais de 60% desde 2011, graças a medidas consideradas simples e eficazes para a prevenção e o diagnóstico da doença.

“80% dos focos de mosquito estão dentro das casas, nas caixas d”água mal tampadas, com tampa rachada ou não tampadas; em reservatórios; em calhas entupidas com folhas; em pratos de vasos de planta; em garrafas deixadas no quintal. Se cada família gastar dez minutos por semana avaliando sua própria casa, a gente já reduzirá muito os focos do mosquito”, destacou.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.